Moreira Franco diz que Funaro 'vive da delinquência e da mentira'

Funaro afirmou que Franco deixou um cargo na Caixa Econômica Federal para ser "tesoureiro da propina" da campanha do presidente Michel Temer, em 2010

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 31/10/2017 15:29

O chefe da Secretaria-Geral da Presidência da República, Moreira Franco, afirmou nesta terça-feira (31/10), que o delator e corretor de valores Lúcio Bolonha Funaro vive da delinquência e da mentira. "Uma pessoa que vive da delinquência, necessariamente, vive da mentira", disse, por meio de nota enviada à reportagem.

Moreira Franco respondeu a uma acusação de Funaro, feita nesta manhã. O delator e corretor de valores, que confessou operar propinas para o PMDB em acordo de colaboração premiada, disse em depoimento na 10.ª Vara Federal de Brasília que o chefe da Secretaria-Geral da Presidência da República, "com certeza", foi destinatário de parte dos recursos ilegais pagos pelo Grupo Bertin a peemedebistas.

Funaro afirmou que Franco deixou um cargo na Caixa Econômica Federal para ser "tesoureiro da propina" da campanha do presidente Michel Temer, em 2010. Naquele ano, Temer elegeu-se vice-presidente pela primeira vez na chapa da ex-presidente Dilma Rousseff. O delator e corretor também disse que o presidente recebeu na ocasião R$ 2 milhões. De acordo com Funaro, o dinheiro era ilegal mas foi pago por uma empresa de energia do Bertin como contribuição de campanha declarada à Justiça Eleitoral. Temer negou. 
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.