Muita testosterona na internet!

O blog Testosterona não tem medo de se assumir machista. Criado para falar que "lugar de mulher é na cozinha", ele conta com mais e 100 mil acessos todos os dia. E, acredite, 40% deles são de mulheres

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 04/11/2010 12:24 / atualizado em 05/11/2010 18:52

Carolina Samorano // Especial para o Correio

Se os machões estão, de fato, desaparacendo das ruas, bares, estádios de futebol e, principalmente, dos lares familiares, há um lugar onde eles ainda podem se expressar livremente sem receber olhares atravessados, apesar de terem que lidar com comentários indecorosos: a internet. Eduardo Mendes fez desse meio o ganha-pão. De quebra, arrebanhou centenas de milhares de leitores que se identificam com a temática ou simplesmente acham graça. Ele é dono do blog Testosterona (http://www.testosterona.blog.br), cujo nome já diz bastante sobre. Por lá, fala como as mulheres precisam ficar na cozinha, faz piadas sobre machismos e quadros para lá de didáticos que explicam, argumento a argumento, por que "pegar" mulher é fácil. É tudo uma grande brincadeira, claro, mas que provoca arrepios nas feministas. Mas uma brincadeira que tem mais de 100 mil acessos de audiência todos os dias. Confira abaixo a entrevista com o responsável pelo espaço dedicado aos machões na web.

O blog nasceu em 2008. Por que criar um blog com essa temática assumidamente machista?
A ideia era criar um blog sobre o universo masculino, falar de mulher, futebol e cerveja. Com o tempo, a nossa temática foi pendendo mais para o lado do humor escrachado, com esse lado machista. Primeiro porque ninguém aparecia com essa coragem de falar o que nós homens pensamos; depois porque perbemos que as mulheres ficavam loucas com isso e passou a ter mais graça ainda. Hoje, ainda falamos sobre futebol e cerveja, mas nossa diversão maior é mesmo falar sobre o eterno conflito no relacionamento homem X mulher. Alguém precisava dizer que lugar de mulher é na cozinha, né?!

Vocês recebem muitos protestos de mulheres indignadas? E de homens?
Já recebi e-mails sim, e também nos próprios comentários no blog. E não são poucos. Elas querem direito de resposta, entram nos comentários e soltam os cachorros mesmo, ou me mandam e-mail dizendo que o blog é ridículo, ofensivo e machista. Deve haver uma quantidade grande de mulheres que entra no blog, se revolta e nunca mais aparece. Mas é coisa de mulher, né?! É da natureza desses seres belos reclamar de alguma coisa. No geral, a mulherada não entende que é um blog de humor. Não incentivamos a violência doméstica nem nada do gênero. Inclusive eu gosto tanto de mulher que acho que cada um de nós deveria ter umas seis, pelo menos.

Quantos acessos por dia o blog tem em média hoje? As mulheres também acessam?
Temos em média 105 mil acessos diários. E, por incrível que pareça, 40% são mulheres. É o Wi-fi chegando na cozinha. Temos muitas leitoras e isso é bem legal. O perfil das nossas leitoras é o da mulher que acha engraçado a pegada machista do blog, e que gosta de homem de verdade, que bebe cerveja, gosta de futebol e não tem a menor habilidade de demonstrar sentimentos que não sejam tesão ou fome. E tem também aquela curiosidade de entender o pensamento dos homens, que certamente elas acham tão complicados como nós as achamos. Eu diria que a cada 10 novas leitoras, umas cinco começam a gostar do blog e viram leitoras fiéis.

O blog é um sucesso, então. Você acha que isso tem a ver com o fato de que ainda vivemos numa sociedade machista e por, talvez, a internet ser um reduto onde as pessoas ainda podem se expressar mais livremente?
Eu diria que é mais pela curiosidade das mulheres em entender o pensamento masculino e pelo humor e identificação dos homens com a proposta do blog. Eu nem acho que a sociedade seja machista. O espaço que as mulheres já ganharam na sociedade é exatamente o que permite que façamos as piadas com elas.

Da onde vem o conteúdo do blog? As pessoas também colaboram com sugestões?
As ideias vão surgindo de todas as formas. Os leitores mandam, sim, sugestões, pedem para temas serem abordados e têm uma participação constante. E o resto é questão de se manter informado por jornais, resvistas, livros, rádio, televisão. Isso pode dar ideias boas e, a partir daí, eu penso em uma forma de transportar isso pra linguagem do blog. Gosto de procurar assuntos de interesse do público pra manter sempre o mesmo padrão. E dá bastante trabalho, é um trabalho de sete dias na semana.

Você acha que ainda há espaço para machões assumidos? O que seria um, para você?
Há muito espaço sim. Ainda mais nos dias de hoje, que vemos bandas coloridas e comportamentos duvidosos. Vejo que mulheres sentem falta de homem de verdade, que se preocupa mais em manter a geladeira cheia de cerveja e o churrasco de domingo cheio de amigos do que passar gel no cabelo. E mais do que a questão visual, homem de atitude parece estar em falta no mercado e há, sim, muito espaço para nós. Inclusive, você já tem planos pra esta noite?

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.