FITNESS & NUTRIÇÃO

A organização do corpo

A prática do pilates é uma verdadeira fonte de juventude para praticantes na terceira idade

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 13/11/2010 00:00 / atualizado em 13/11/2010 00:28

Marcelo Ferreira/CB/D.A Press
Foi-se o tempo em que restavam aos avós atividades pacatas como tricotar, jogar gamão e afins. Hoje, eles estão cada vez mais ativos, levando vantagem sobre muitos garotões por aí. Não é à toa que a melhor idade venha aderindo em massa ao pilates, programa de condicionamento físico que proporciona múltiplos benefícios. O praticante pode, simultaneamente, trabalhar a flexibilidade, incrementar a consciência corporal e ganhar massa muscular. A atividade é de baixo impacto e personalizada, já que as turmas costumam ter, no máximo, três alunos.

A bailarina Alice Becker é uma das responsáveis pela introdução do método no Brasil. Ela travou contato com os ensinamentos de Joseph Pilates há 18 anos, nos Estados Unidos, enquanto se recuperava de uma grave contusão no joelho. Os resultados promissores a levaram a abrir uma empresa especializada em cursos e equipamentos especializados. Segundo ela, o método é perfeito para o público maduro. “Com a idade, as pessoas tendem a perder o equilíbrio, elas ficam com medo de cair e acabam restringindo seus movimentos. Os exercícios são pensados de forma a ajudar a superar os desafios de cada um. Aos poucos, recupera-se a confiança”, avalia.

Outra vantagem, segundo Alice, é que os treinos simulam atividades do dia a dia. “Os movimentos têm enfoque funcional: o aluno aprende a se sentar de maneira correta, a agachar, enfim, a realizar as funções normais, proporcionando um corpo que execute bem essas funções.”

João Bosco, 69 anos, concilia treinos regulares de pilates com os gramados de futebol. Orgulhoso de suas atividades, o aposentado relata que a prática lhe rendeu força física e uma melhor postura. “Estou com porte de militar. Além disso, senti melhoras no meu equilíbrio e hoje eu atravesso a rua com mais segurança”, comemora. Ele buscou o método para combater as dores no joelho que vinha sentindo. “Fortaleci a musculatura da coxa — isso me ajudou no futebol e me deixou mais ativo para brincar com os meus netos,” detalha.

A íntegra desta matéria pode ser lida na edição 287 da Revista do Correio.
Tags:
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.