REPORTAGEM DE CAPA

Eu, tu, eles (nas redes sociais)

Manter o ciúme longe das relações é um desafio ainda maior em tempos que a vida de homens e mulheres pode ser monitorada por meio de curtidas e postagens na internet

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 08/02/2015 08:00 / atualizado em 05/02/2015 17:05

Rafael Campos

Zuleika de Souza/CB/D.A Press

Não há como saber quando ela surgiu, mas uma anedota que vem circulando nos aplicativos de conversas entre celulares consegue dar a medida do quanto as redes sociais são levadas a sério, hoje, nos relacionamentos amorosos:


Ela: Se você me ama tanto, prove.
Ele: Como posso provar, meu amor?
Ela: Mate um leão.
Ele: Meu amor, isso é impossível. Como eu vou matar um leão?
Ela: Então me deixe ver as suas mensagens no Whatsapp.
Ele: Qual o tamanho desse leão?

Exageros à parte, não é de se espantar que o cabreiro moço da piada tenha adquirido coragem de forma tão repentina. Mas se o sentimento enciumado dos casais é algo conhecido desde que homens das cavernas tentavam fazer a raça humana evoluir, a internet permitiu que ele se tornasse ainda mais rápido, abrangente e, por que não dizer, arriscado. Às escapadas masculinas e femininas, somam-se prints de conversas comprometedoras.

Do simples ato de curtir uma publicação, segue-se a desconfiança do outro: "Por que ele gostou disso?". São fotos, comentários e postagens com conteúdos que, antes, poderiam ficar restritos aos amigos no bar, mas que, agora, chegam aos olhos de todo mundo. Inclusive — e, em muitos casos, principalmente — da pessoa com quem você divide a cama. A queda de braço é intensa, até porque, se quase todos sentem ciúme, quase todos fazem parte de alguma rede social. No Brasil, existem 89 milhões de usuários no Facebook e outros 45 milhões no WhatsApp.

Entre 2013 e 2014, o Twitter registrou aumento de 25,6% entre os brasileiros. Hoje, a ciência se debruça sobre a união das redes com a desconfiança existente entre os enamorados. De acordo com o estudo realizado no ano passado pelo doutorando da Escola de Jornalismo da Universidade de Missouri Russel Clayton, o Twitter pode se tornar motivo para que um relacionamento chegue ao fim. Ao entrevistar 581 usuários da ferramenta maiores de 18 anos, a pesquisa apontou que distúrbios existentes em namoros ou casamentos podem ter correlação com a plataforma. Para quem deseja comprovar isso, basta digitar as palavras "redes sociais, ciúme" na caixa de busca do site.

O Facebook também foi alvo do pesquisador. De acordo com a análise de Clayton, aqueles que usam a plataforma de maneira excessiva estão mais propensos a experimentar conflitos relacionados à rede social com os parceiros, o que pode causar danos ao casal, incluindo traição, separação e divórcio. "As redes sociais aparecem na nossa sociedade como um novo meio de manifestar o ciúme. O ciumento, de maneira geral, apresenta um medo enorme de ser trocado ou abandonado pelo outro", garante Graziela Vanelli, psicóloga e autora do livro Amor, ciúme e infidelidade — Como essas questões afetam sua vida (Editora Letras do Brasil).


A matéria completa para assinantes está aqui. Para assinar, clique aqui.

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.