Fitness & Nutrição

Equilíbrio entre alimentação e exercício para definir o abdome

Equilíbrio entre alimentação e exercício pode ser a chave para garantir uma barriga definida

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 26/07/2015 08:00 / atualizado em 24/07/2015 21:53

Ailim Cabral

Zuleika de Souza/CB/D.A Press

 

O único caminho para o abdome perfeito é passar o dia inteiro em uma louca sequência de abdominais, certo? Nem sempre. A prova viva de que é possível conquistar uma barriga chapada ou definida a partir de outros métodos é a servidora pública Mariana Medeiros Nóbrega, 30 anos, que confessa comer sanduíches e beber vinho nos fins de semana e ainda assim tem um tanquinho de causar inveja em muito atleta.

Mariana pratica esportes desde criança. O preferido sempre foi a natação. "Nunca fui de ficar parada. Mas quando criança e adolescente, era só nos esportes mesmo." Depois dos 18 anos, a musculação entrou na rotina de Mariana e nunca mais saiu. Atualmente, a servidora pública malha cinco vezes por semana. Antes, todos os dias eram dedicados à musculação. Há seis meses, Mariana pratica crossfit três vezes por semana.



Mas quando ela faz abdominais? A resposta surpreende, já que o tradicional exercício não faz parte da rotina diária. Mariana explica como pode ter a barriga tão sarada. "Sendo muito sincera, eu não posso descartar a genética, mas acho que o meu segredo é o equilíbrio. Durante a semana, malho religiosamente todos os dias e tenho uma alimentação regrada. Não faço sequências intensas de abdominal, mas todos os exercícios trabalham o abdômen", afirma.

O professor de educação física e personal trainer Victor Alexandre de Oliveira Silva concorda com Mariana. Ele explica que não existe milagre nem uma "sequência seca barriga" como alguns anúncios prometem. "Não adianta dizer que tem um exercício mágico para ter o melhor abdômen do mundo, mas uma combinação de fatores e diferentes tipos de atividade", explica.

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.