#PaiTecnológico: "Ele dá consultoria para todos, é um guru da tecnologia"

Luciano Brandão, 39 anos, pai de Patrick e Celina, representa um grupo de pais ligados nas novidades do mundo digital

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 26/07/2015 09:56

Augusto Berto - Especial para o Correio

Luciano A. Brandão/Arquivo Pessoal

Três computadores. Celular de última geração, câmera fotográfica profissional, televisão 3D com conexão de Internet, leitor de livros digitais. No comando de toda essa parafernália tecnológica está Luciano Brandão, 39 anos, legítimo pai tecnológico. Ele representa os pais que, independente dos filhos, sabem lidar com o mundo digital. Quase uma versão 2.0 dos colegas que pedem socorro para mandar um e-mail do trabalho e têm no controle remoto o máximo de contato com tecnologia.

Luciano demonstrou paixão por computadores desde a infância. Nada de gibis ou brincadeiras na rua. “Ele perdia horas olhando catálogos de revistas com produtos eletrônicos”, recorda o pai, Luiz Brandão. Fácil de perceber o destino traçado para viver em frente às telas luminosas. Na faculdade, cursou Análise de Sistemas. Tem duas pós-graduações na área e trabalha há 20 anos como analista de informação do Ministério da Defesa.

Para os filhos Patrick Brandão, 16 anos, e Celina Brandão, 7, nada melhor do que ter um pai tecnológico no dia a dia. Na casa de Luciano, todos sabem por quem gritar quando o computador insiste em dar problema. “Ele dá consultoria para todos os parentes e vizinhos. É um guru da tecnologia”, brinca a esposa, Kênia Brandão. Aliás, o casal se conheceu em um curso de informática, em 1999. “O Luciano me ajudava, até o professor do curso tirava dúvidas com ele”, recorda Kênia.

Em casa, a paixão por tecnologia é hereditária. Patrick aprendeu muitos truques ensinados pelo pai. “Me explicou a fazer manutenção e a configurar o computador. Me fala sobre como funciona cada peça. É impossível não querer aprender. Nunca fiz uma pergunta sobre meu computador que ele não soubesse responder. É incrível”, derrete-se o filho.

Quem convive com Luciano garante que ele não é do tipo chato e que esquece do mundo com o celular na mão quando a família vai a um restaurante. Em casa, até colocou regras para manter longe o vício com tecnologia. “Primeiro, não pode levar nenhum aparelho para a mesa durante o almoço”, explica Patrick. “E a única televisão da casa fica na sala, para todos assistirem juntos e não ficar ninguém sozinho nos quartos”, completa Kênia.

Em meio a tanto equipamento tecnológico, ainda tem alguma coisa que o paizão deseja? “Olha, queria muito um relógio smart lindo que eu vi na loja esses dias”. O novo sonho de consumo é um smartwatch, relógio de pulso que desempenha multifunções, e virou tendência entre os nerds. Luciano passa quinze minutos descrevendo como seria maravilhoso ter um relógio de pulso que entra no Facebook e faz ligações para telefones quando a bateria do celular insiste em acabar. Fica a indireta de Luciano para a família sobre o presente ideal nesse dia dos pais.
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.