NEURÔNIOS EM DIA

É bom saber que o sorriso no rosto faz você parecer mais jovem

Aproveite para sentir que tem alguns anos a menos sem cirurgias plásticas, experimente sorrir mais

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 18/05/2016 16:25 / atualizado em 18/05/2016 16:27

Julio Lapagesse/CB/D.A Press

 

* Por Ricardo Teixeira

Percepção não acontece separada da emoção. Um estudo publicado recentemente pelo periódico PLOS ONE aponta que julgamos as pessoas sorridentes mais jovens que as que têm cara fechada.

Pesquisadores da Universidade de Missouri-Kansas (EUA) conduziram esse estudo em que jovens voluntários tinham que avaliar imagens pelo computador de homens que tinham expressões que eram categorizadas em três tipos: neutra, alegria e tristeza. Não incluíram mulheres para evitar fatores que poderiam confundir a pesquisa, como o uso de maquiagem.

Os resultados mostraram uma inequívoca percepção de juventude nas expressões alegres. São os estereótipos do jovem alegre e a idade trazendo consigo sentimentos tristes e, talvez, um sorriso no rosto tenha o mesmo efeito que boas aplicações de Botox.

Mas o bom humor não tem implicações só na aparência. Emoções positivas, o sorriso, o estado de felicidade, todos podem ser vistos do ponto de vista evolutivo como um mecanismo que facilita as relações sociais ao promover sentimentos prazerosos nos outros, por recompensar os esforços dos outros e encorajar a continuidade da relação social. E o sucesso da espécie humana depende de sua capacidade de fazer relações sociais.

Alguns experimentos apontaram que indivíduos são mais capazes de suportar estímulos dolorosos quando estão assistindo a vídeos com conteúdo de humor. Outros estudos avaliaram componentes do sistema imunológico antes e depois de uma sessão de vídeo com conteúdo de humor e os resultados revelaram respostas imunológicas positivas. Quanto ao sistema cardiovascular, pesquisadores demonstraram que pacientes com doença coronariana têm menores scores numa escala de senso de humor frente a situações do cotidiano. Na verdade, temos boas evidências de que a falta de senso de humor, ou uma vida acompanhada de impaciência, raiva e atitudes hostis, estão associados a um maior risco de desenvolver pressão alta, piorar o controle dos níveis de glicose e ainda aumentar o risco de doença isquêmica do coração e morte.

Onde é que o riso se encontra no nosso cérebro?

Cristiano Gomes/CB/D.A Press
 

As regiões mais frontais do nosso cérebro são consideradas as mais recentes no processo de evolução das espécies, e é aí que se concentram funções especializadas como a linguagem e o riso. O riso por sinal é exclusivo da espécie humana - a hiena não ri - e já foi demonstrado que a área cerebral que desencadeia o riso em última instância está nessa parte frontal. Já foi até comprovado que sua estimulação elétrica durante procedimentos cirúrgicos é capaz de desencadear o riso. Temos evidências também que o hipotálamo e as regiões temporais também têm participação na geração do riso. É claro que no mundo real precisamos do cérebro como um todo para entender a piada.

*Dr. Ricardo Teixeira é neurologista do Instituto do Cérebro de Brasília e professor de pós-graduação em divulgação científica e cultural na Unicamp.

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.