SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

Encontro com o Chef

Servidora pública fala sobre os prazeres cozinhar para os amigos

A arte de cozinhar %u2014 e comer bem %u2014 tem um significado especial para Milena Costa. De forma quase intuitiva, ela costuma comandar as panelas em encontros para lá de especiais em torno da mesa. Além de pratos saborosos, a servidora pública ganhou amigos mundo afora

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 13/11/2016 08:00 / atualizado em 24/11/2016 11:54

Sibele Negromonte

A comida tem o dom de reunir e aproximar as pessoas. Para Milena Costa, essa frase é uma espécie de lema de vida. Fã de uma boa mesa, ela descobriu, por acaso, o prazer de estar também atrás do fogão. E, de quebra, conquistou dezenas de amigos pelas andanças mundo afora. A gastronomia ainda é um hobby para essa servidora pública de 36 anos. Mas projetos não faltam para se tornar também um ganha-pão.

Arquivo Pessoal
Potencial ela tem de sobra. Milena descobriu que podia cozinhar quando, em 2007, morando sozinha em um país desconhecido e cansada de perambular pelos restaurantes, sentiu necessidade de comer algo caseiro. Decidiu, então, preparar um almoço em casa e, quando se deu conta, tinha 10 convidados. Eram chilenos, argentinos e colombianos que trabalhavam com ela em uma empresa de telecomunicações em Lima, capital do Peru. O menu, Milena lembra-se até hoje: carne moída, feijão, arroz e purê de batata. "Era uma comida simples, de aconchego. O que precisávamos naquele momento."

A ideia deu tão certo que o grupo decidiu repetir o encontro várias vezes. "Como tínhamos duas horas de almoço e eu morava em frente a um supermercado, passamos a nos reunir com frequência para preparar a própria refeição", conta. Detalhe: tudo era cozinhado em um fogareiro de duas bocas. "Até feijoada nos fizemos ali. Quando a gente quer, cozinha em qualquer lugar. Basta ter bons ingredientes e disposição para tentar", acredita.

Meses depois, Milena deixou Lima rumo a uma temporada em Bogotá. E a história se repetiu em terras colombianas. Dessa vez, a brasiliense resolveu fazer um curso para aprender algumas técnicas gastronômicas e aperfeiçoar o dom da culinária. "Mas é tudo muito intuitivo. Gosto de aprender, trocar receitas com quem cozinha bem e, assim, ir dando o meu toque", faz questão de afirmar. De volta ao Brasil, Milena foi morar em São Paulo. Mais uma vez, a casa dela virou o point gastronômico dos amigos e dos amigos dos amigos. "No meu apartamento, tinha uma laje, onde costumava reunir as pessoas. Virou uma espécie de confraria", recorda-se.

Quando retornou à terra natal, em 2012, não podia ser diferente. Milena voltou para a casa dos pais e foi agraciada com um espaço gourmet completamente equipado. "Toda a minha família adora cozinhar. É uma coisa que vem de gerações", justifica. Não deu outra. Por aqui, a servidora pública se uniu a outros amigos que compartilham a paixão pelas caçarolas, e os encontros gastronômicos se tornaram programa frequente.

Há quatro anos, por pura farra, um grupo a desafiou a preparar uma rabada. "A maioria nunca nem tinha comido rabada. Virava a cara para o prato." Milena aceitou a provocação e, depois de muitas pesquisas e adaptações, chegou a uma receita, que compartilha com nossos leitores. Na verdade, um ragu de rabada. O sucesso foi tanto que virou tradição. Ontem, um grupo de 30 pessoas se reuniu na casa de Milena para degustar o quarto ano da rabada. "Gente que achou que não ia comer, não só comeu como adorou", gaba-se.

Na reunião deste ano, para acompanhar o prato principal, Milena escolheu nhoque. Como não faz massa, ela buscou quem a preparasse artesanalmente. Também convidou um amigo que produz cerveja artesanal para fazer a degustação com os convidados. Outra amiga, que faz paletas, também foi à casa de Milena. A ideia era mesmo reunir as pessoas em torno da boa mesa. O prato saiu a preço de custo para os convidados, que levaram a própria bebida. "Dá muito trabalho, mas o prazer de comer bem e reunir os amigos compensa."
 

Ragu de rabada (4 porções)

 
Arquivo Pessoal
Ingredientes

1kg de rabo bovino
1 cenoura cortada em cubinhos
1 talo de alho-poró picado
1 talo de salsão picado
1 cebola picada
3 dentes de alho
1 folha de louro
1 ramo de alecrim fresco
1 ramo de tomilho fresco
100ml de vinho tinto
1 lata de tomate pelado
1 ramo de agrião
Sal e pimenta-do-reino a gosto

Modo de fazer

Retire o excesso de gordura dos pedaços da rabada bovina. Tempere com sal e pimenta. Doure em uma panela com óleo. Em seguida, coloque a carne em uma panela de pressão com a cenoura, o salsão e os temperos (louro, alecrim e tomilho) e preencha com água. Deixe por cerca de 40 minutos.

Retire a carne e, em seguida, desosse e a desfie em pedaços não tão pequenos.

Retire a gordura do caldo que ficou na panela de pressão com uma escumadeira.

Em uma outra panela, refogue o alho e a cebola. Depois, acrescente a carne, os tomates, o alho-poró, o caldo e o vinho e deixe no fogo por mais ou menos uma hora e meia.

Para finalizar, coloque o caldo da panela de pressão sem a gordura.

O ragu está pronto para ser servido e fica ótimo para acompanhar massas, polenta e até mesmo como base para um risoto.

P.S.: quando serve o ragu com nhoque, Milena acrescenta um pesto de agrião superfácil de fazer:

1 dente de alho
1 maço de agrião
1/2 xícara de amêndoas (ou pinoli)
Azeite

Bata tudo no liquidificador e vá completando o azeite até dar uma consistência de pesto.
 
Dicas da cozinheira

Para Milena Costa, não é preciso ter uma cozinha superequipada para começar a se arriscar na arte de cozinhar. Aos poucos, a pessoa vai sentindo a necessidade de comprar alguns utensílios. Mas ela cita dois itens que facilitarão muito a vida do aprendiz de chef:
Tramontina/Divulgação
 
 

publicidade

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.

publicidade