Encontro com o Chef

Doceira cearense encanta Brasília com ingredientes inusitados

Cupcake com recheio de rapadura e queijo coalho, palha italiana com um toque de capim-santo. Doceira faz releitura de tradicionais delícias com ingredientes inusitados

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 14/12/2016 16:32 / atualizado em 18/12/2016 14:21

Luis Noval/Esp. CB/D.A Press
No lugar de chocolate, capim-santo. Em vez de nozes, castanhas-do-pará. E por que não usar rapadura e queijo coalho para rechear os famosos bolinhos com nome e ares gringos? Virgínia Medeiros é dessas que valoriza os ingredientes tropicais quando prepara os seus doces. E isso vale, inclusive, para as tradicionais gostosuras natalinas. O cupcake pode até ser decorado com o ursinho de Natal e o velho Noel, mas, por dentro, ele é bem tupiniquim.

Andarilha, ela trouxe de cada lugar onde morou alguma referência — seja para a gastronomia, seja para a vida. A paixão pelas panelas começou ainda na infância, quando, no Ceará, via a avó cozinhar. A identidade com os doces foi quase imediata. “Sei cozinhar de tudo um pouco, mas os doces são mesmo minha paixão.” Aos 12 anos, preparou o primeiro bolo. “Todo mundo adorou. E, como aos sábados sempre tinha um bolo lá em casa, eu fiquei responsável por fazê-los.”

Aos 17 anos, participou do primeiro curso de tortas, em Fortaleza. No aniversário de 90 anos da avó — a mesma que lhe despertou o interesse pela cozinha —, Virgínia fez praticamente todos os quitutes. Mas tudo era tocado meio na intuição. “Preparava as festinhas dos meus filhos, mas não trabalhava profissionalmente com isso.” Depois de casada, veio morar em Brasília. Continuava com a paixão, mas ainda não foi aí que começou a se profissionalizar.

Após a separação, Virgínia iniciou uma andança Brasil afora. Com três filhos e dois cachorros, passou uma temporada em Fortaleza, viveu em Posse (GO), em Gaspar (SC) e na Cidade de Goiás, antes de voltar para a capital federal. Em Gaspar, uma cidadezinha com pouco mais de 60 mil habitantes, conheceu mais sobre a panificação, tão presente na culinária do Sul do país. “Tinha uma vizinha, descendente de alemã, que transformava em pão, sobras de arroz, de verdura e o que mais tivesse em casa. Aprendi muito com ela”, relembra-se.

Era chegada a hora de trabalhar com gastronomia. E o lugar escolhido foi a Cidade de Goiás, onde os doces reinam absolutos. Lá, em parceria com um irmão e o ex-marido, montou uma confeitaria. O Espaço Minha Sinhá tinha exatamente uma pegada mais brasileira. Era a oportunidade que Virgínia tinha de realizar novos experimentos. Por dois anos, trabalhou arduamente. Mas o fim da sociedade com o irmão e a longa distância de Brasília, onde mora o ex-marido, acabou por acelerar a sua volta à capital federal.

Pesou também na decisão um objetivo maior: aprofundar os estudos na área. Virgínia ingressou, então, na faculdade de gastronomia e, paralelamente, passou a fazer cursos em patisserie. O Espaço Minha Sinhá não existe mais fisicamente, mas a doceira continua com a marca. Faz doces sob encomenda para datas festivas, como o Natal, e para festas em geral. E por que não enfeitar a sua ceia com sabores inusitados, como a deliciosa palha de capim-santo?
 

Palha de capim santo


Luis Noval/Esp. CB/D.A Press
Ingredientes:
1 lata de leite condensado
10g de manteiga
1 caixa de creme de leite
100ml de água fervente
6 pacotinhos de chá de capim-santo.
100g de biscoito de maisena

Modo de fazer:
Faça um chá, mergulhando os seis pacotinhos de capim-santo em 100ml de água fervente. Em fogo baixo, misture o leite condensado, o creme de leite, a manteiga e o chá. Continue mexendo até dar o ponto de brigadeiro, ou seja, quando estiver soltando do fundo da panela. Em seguida, apague o fogo e deixe esfriar um pouco. Triture o biscoito na mão, em pedaços graúdos. Misture ao doce morno e espalhe, de forma homogênea, em um refratário. Corte os quadrados no tamanho que quiser e banhe na calda de chocolate.

Calda de chocolate
Derreta uma barra de chocolate meio amargo em banho-maria ou no forno de micro-ondas, seguindo as instruções do fabricante. Mergulhe a palha no chocolate ainda quente e, em seguida, ponha sobre um papel-manteiga até endurecer. Decore como preferir. Se não quiser usar a calda de chocolate, é possível acentuar ainda mais o sabor do capim santo. Abra dois saquinhos de chá, triture e misture a 100g de açúcar de confeiteiro ou leite em pó. Polvilhe a palha e sirva.
 

SERVIÇO:

Espaço Minha Sinhá

(61) 3536-0328 / (61) 98220-4157
espacominhasinha@gmail.com
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.