NEURÔNIOS EM DIA

Cientistas demonstram como as emoções influenciam nossa memória

Sabemos há um bom tempo que experiências que têm conteúdo emocional são capazes de produzir memórias mais vívidas e duradouras

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 23/01/2017 17:52 / atualizado em 23/01/2017 18:05

Maurenilson Freire/CB/D.A Press
Por Ricardo Teixeira* 
 
Mas será que a emoção também pode influenciar a memória de outros conteúdos sem componentes emocionais?  Pesquisadores da Universidade Nova Iorque publicaram recentemente um estudo na revista Nature Neuroscience demonstrando que a resposta é um sim.
 
Eles mostraram que as experiências emocionais em humanos são capazes de induzir estados de funcionamento cerebral que persistem por algum tempo após esse evento e favorecem a consolidação de memórias neutras, sem conteúdo emocional. É como se as emoções deixassem as outras memórias subsequentes mais coloridas.  
 
O experimento que eles conduziram pedia aos voluntários que eles apreciassem uma série de imagens que elicitavam emoção e, após 10-30 minutos, eles eram apresentados a imagens sem conteúdo emocional. Outro grupo de voluntários fazia o contrário: primeiro as imagens neutras e depois as com emoção.
 
Seis horas depois os voluntários eram submetidos a uma testagem de quanto eles se lembravam das imagens neutras. Os resultados mostraram que aqueles expostos ao conteúdo emocional primeiro tiveram melhor desempenho nos testes de memória. Além disso, exames de ressonância magnética funcional apontaram que o estado funcional do cérebro desencadeado pela experiência emocional persistiu por cerca de trinta minutos. Poderíamos chamar esse efeito de “ressaca emocional”.
 
*Dr. Ricardo Teixeira é neurologista do Instituto do Cérebro de Brasília e professor de pós-graduação em divulgação científica e cultural na Unicamp. 
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.