'Mulher-Maravilha desconstruída' chama a atenção na SP Fashion Week

Vestidos simples e estampados com a bandeira americana estilizada foram combinados com as bolsas da personagem

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 16/03/2017 01:11

Divulgação/Agência Fotosite
Chegamos a metade da semana de moda de São Paulo. Ao fim desta quarta-feira (15/3), a Ellus 2nd Floor empolgou os fashionistas e a imprensa. A personagem principal do desfile foi a Mulher-Maravilha desconstruída. 

As parcas oversized foram combinadas a microssaias, criando looks equilibrados e cheio de estilo. Vestidos simples e estampados com a bandeira americana estilizada foram combinados com as bolsas da Mulher-Maravilha. Com alças grossas e usada enviesada, as peças foram o destaque e o que remeteu ainda mais ao estilo jovem da marca. 

Também, chamaram atenção os desfiles inspirados nas paisagens brasileiras.  Estreante nas passarelas do SPFW, Fabiana Milazzo trouxe uma coleção inspirada na natureza e nas paisagens brasileiras. marcos arquitetônicos das cidades também marcaram presença. 

Os vestidos bordados à mão, com acabamentos que beiram à perfeição, foram os grandes destaques do desfile. A estilista exibiu uma mistura de chique e casual nas peças estampadas na flora e fauna brasileira. Os jeans e blusões oversized vieram com bordados em lã e pedraria. Fabiana também reaproveitou tiras de jeans para compor a coleção.

O trabalho da estilista é permeado por iniciativas sociais. Os fios de seda usados para criar os casacos e blusas da marca foram feitos pela ONG Casulo feliz, formada por ex-presidiárias. O projeto social Mulheres de Renda foi criado por Fabiana e permite que as mulheres levem os filhos junto. As crianças brincam e têm aulas de futebol e música enquanto as mães aprendem a bordar. 

Isabela Capeto também voltou os olhos para o Brasil na hora de criar sua coleção. A estilista apresentou peças inspiradas no Cariri Cearense. Os cabelos com aspecto bagunçado e arranjos de galhos ajudaram a levar o público para o Nordeste. As peças vieram cheias de cor, o vermelho, o navy e o rosa criaram contraste combinados ao preto. 

Com muitas estampas e texturas, chamaram atenção os bordados e a combinação entre estilos. A mistura de estampas e de look comportados com peças mais punk, como a bomber, mostraram a globalização dos estilos brasileiros. 

Divulgação/Agência Fotosite
A Memo veio com uma pegada esportiva e romântica, resultado da parceria da marca descolada com Lilly Sarti. As peças vieram com tom retrô, remetendo aos tradicionais uniformes de tênis. O estilo foi revisitado em moletons e vestidos brancos com detalhes em azul marinho e bordô. Meias ¾  e sneakers ajudaram a dar o clima “cool”. Babados e cinturas marcadas ajudaram a resgatar o estilo romântico. 

Ao som de Nirvana, a marca Giuliana Romanno trouxe coleção inspirada no guarda-roupa masculino. A mulher que se apropria das peças tipicamente destinadas aos homens e que mistura o terno e o blazer com saias e sapatos altos é o público alvo da estilista. 

O desafio é fazer toda essa apropriação e ainda assim manter a feminilidade, o que Giuliana conseguiu com peças acinturadas, justas e cheias de fendas e recortes modernos.

A Apartamento 03, de Luiz Claudio foi inspirada no livro “O Visconde Partido ao Meio”, de Italo Calvino. A história é sobre um visconde que, durante uma guerra, é atingido por uma bala de canhão, sendo dividido em dois, entre a maldade e a bondade. 

Os tecidos pesados, como o veludo, vieram em modelagens leves e fluidas. Com bastante movimento, as cores forte como o navy e o bordô vieram permeadas de brilhos cintilantes. A dualidade nas peças também foi ilustrada em uma alfaiataria recheada de borbados.

O Projeto Estufa trouxe dois estilistas para apresentar coleções na semana de moda. Helen Rödel trouxe criações de crochê seguindo o estilo moda resort. Bem ajustadas ao corpo, as peças feitas a mão surpreenderam pela riqueza de cores e dos pontos de crochê executados milimetricamente. 

Enéas Neto foi o responsável pela criação da coleção Vale da Seda e trouxe saias esvoaçantes e cheia de leveza, com um ar quase etéreo. O material foi apresentado em diversos formatos, indo do casulo até a organza. 

O principal diferencial da coleção está nas etiquetas. Elas trazem um QR Code que permite que o consumidor descubra a procedência da peça. A quantidade carbono emitida ou a quantidade de pés de amoreira  -- os bichos de seda que produzem a seda se alimentam das folhas de amoreira -- usados na produção são alguns dos dados fornecidos. 
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.