Moda

Aprenda a montar um armário cápsula

Não é preciso ter muita roupa para se vestir bem e com estilo. O armário cápsula é formado por poucas peças básicas que combinam entre si

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 03/12/2017 07:00 / atualizado em 01/12/2017 14:05

Reprodução
“Se você entrasse em meu guarda-roupa neste exato momento, o que veria? Fileiras de sapatos e um monte de bolsas. Pilhas de camisetas básicas e brancas e suéteres pretos de cashmere. Uma fileira de vestidos pretos e uma prateleira inteiramente destinada a jeans.” Assim começa Nina Garcia no primeiro parágrafo do livro As 100+ – O guia de estilo que toda mulher fashion deve ter.

Partindo da provocação da autora, nos últimos anos, o consumismo tem sido frequentemente discutido, e o clichê “menos é mais” continua em ação para inspirar várias mulheres a diminuírem a quantidade de roupas no closet e adaptarem o estilo com peças curingas e coordenadas entre si.

Esse é o chamado armário cápsula. Como o nome já sugere, é algo menor, reduzido, compacto. Por meio de um olhar mais prático, esse tipo de guarda-roupa pede peças básicas “tem-que-ter”.

Para a consultora de imagem Andrea Oliveira, a tendência é uma iniciativa que reavalia a relação das pessoas com as roupas. Ela conta que a busca por um guarda-roupa compacto tem aumentado na lista de clientes. “O que eu vejo hoje é que as pessoas estão procurando simplificar a vida, e otimizar o armário faz parte disso. Tenho muitas clientes que compram por impulsividade e investem em peças que vão ficar muito tempo paradas na prateleira. Não compensa.”

Para Andrea, o segredo é investir em peças do dia a dia, as que se usam mais, e olhar para o guarda-roupa com criatividade. “É melhor ter qualidade do que quantidade. Refazer o armário e olhar para as peças com outro olhar é essencial”, recomenda. 

Como começar um armário cápsula

1 - Exercite o desapego. A vida é muito curta para usar peças que não combinam com você. O essencial não se encontra em grande quantidade.

2 - Separe uma hora por semana para dar uma limpa no closet. Mudar o hábito do consumo e se apegar apenas ao necessário é um processo e uma forma de autoconhecimento.

3 - Invista em acessórios. Mesmo com menos peças de roupa, você pode repeti-las de uma forma original, acrescentando adereços diferentes a cada vez.

4 - Tenha mais peças de cima do que de baixo. Não gaste muito comprando calças e saias. As combinações variam mais com blusas e camisetas. A chance de acerto é maior.

5 - Para dar início ao guarda-roupa cápsula, atente às peças principais: camisa básica, calça básica (seja jeans, seja alfaiataria), saia, casaco ou colete e acessórios. Lista feita, hora de recomeçar!

Fonte: Andrea Oliveira


Básica ou colorida?

Reprodução
A microempreendedora Viviane Magalhães, 31 anos, é uma das mulheres que se renderam à tendência consciente. Ela conta que aderiu ao método cápsula por necessidade. Após morar três anos em Sydney, na Austrália, ela teve que dar um jeito de arrumar as malas de mudança para o Brasil sem excessos.

Com dois filhos pequenos e grávida do terceiro, decidiu se desfazer de várias peças e ficar com as mais básicas. “Tudo tinha que caber em uma mala só. Então, a primeira coisa que fiz foi tirar tudo do cabide e separar em uma pilha o que eu amava vestir e me sentia bem”, explica. “Ainda assim, optei pelos mais básicos na hora de escolher. Fujo de estampa colorida, por exemplo.”

Já Ana Garcia optou pelas cores. A economista de 26 anos também decidiu abandonar o consumismo e virar a página. O diferencial do seu armário são as estampas: a maioria das peças tem cor e padronagem. “De básico, tenho só uma camiseta branca e uma calça legging preta. De resto, é tudo estampado. Mesmo assim, consigo combinar absolutamente todas umas com as outras”, diz.

Andrea Oliveira concorda: o guarda-roupa cápsula não precisa se resumir a peças brancas, pretas e cinzas. “As roupas vão além das cores neutras. O armário pode e deve ter várias estampas e acessórios. O importante é que dialoguem com a identidade da pessoa.”

Economia

Com a mudança de hábito, Ana afirma que ter o guarda-roupa cápsula impactou diretamente na vida financeira. Ela confessa que costumava comprar de quatro a cinco peças por mês. E isso resultava em um gasto de R$ 5 mil a cada três meses, em média. Em setembro passado, após refletir sobre seu consumo excessivo e a necessidade de esvaziar o closet, decidiu, por si mesma, mudar. Tirou tudo o que não usava e reduziu o espaço a apenas 33 peças.

“Tenho uma cápsula a cada três meses e já estou na minha segunda. A meta é ter uma permanente de 50 peças apenas”, relata. Além da economia de dinheiro, Ana teve seu tempo otimizado. “Não gasto mais tempo em frente ao armário tentando decidir o que vou vestir. Como todas as peças combinam, é muito prático decidir a roupa do dia e isso otimiza minha rotina.” n

Para se inspirar

Reprodução
A blogueira norte-americana Caroline Rector criou o portal Unfancy para compartilhar seu estilo de vida compacto. Nele, ela posta frequentemente dicas de estilo e como repetir peças de roupa de um jeito inovador (www.un-fancy.com).

O blog Minimallista, da brasileira Natália Grazziotin, também segue a mesma linha. A blogueira ensina como montar um estilo de vida simples com um guarda-roupa mínimo, além de dar dicas de consumo consciente, bem-estar e organização (www.minimallista.com.br)
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
*Estagiária sob supervisão de Sibele Negromonte 
Tags: moda
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.