SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

Livox, app brasileiro, ganha Copa do Mundo de Tecnologia nos EUA

O aplicativo reproduz, por comando de voz, necessidades, emoções e desejos dos usuários em 25 idiomas diferentes

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 09/06/2015 18:20 / atualizado em 09/06/2015 18:30

 

Reprodução/Livox

 

O Livox (Liberdade em Voz Alta) - aplicativo brasileiro que permite pessoas com deficiência na fala se comunicar dentro e fora de sala de aula - venceu a Copa do Mundo de Tecnologia no Vale do Silício em São Francisco na Califórnia, Estados Unidos - organizada pela Microsoft, Qualcomm e outras empresas de tecnologia. O app superou 25 startups de 18 países na categoria educação. O prêmio reconhece e incentiva projetos de impacto social em todo o Mundo.

Empreendedores e executivos da área de tecnologia da informação (TI) compuseram o júri e verificaram que o Livox se destaca por atender uma parcela da população carente de inovações tecnológicas. Com a vitória, a startup brasileira participará de reuniões com investidores-anjos (executivos de empresas e grupos de risco do Vale do Silício). Esse é o terceiro prêmio do aplicativo, que já foi eleito a Inovação Tecnológica de Maior Impacto de 2014, pelo Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) e o Melhor Aplicativo de Inclusão Social do Mundo, pela Organização das Nações Unidas (ONU).

O Livox foi desenvolvido por Carlos Pereira, para promover autonomia na comunicação de sua filha, Clara, de sete anos, que tem paralisia cerebral. O diálogo com a criança era feito por meio de um catálogo de “falas” ditas em voz alta, quando selecionadas por ela. Os usuários tocam a tela do tablet com o software instalado para expressar, por comando de voz, suas emoções, necessidades e desejos, como o de se alimentar, entre outras coisas. O software contém um catálogo de 20 mil imagens, que podem ser utilizadas em conjunto com textos e também permite o acesso a atividades culturais, como filmes, desenhos e músicas. Os usuários também conseguem aprender a ler, adquirir vocabulário e estudar matemática.

 

Reprodução/Livox

 

O aplicativo é baseado em algoritmos inteligentes que se ajustam a diferentes graus de deficiência motora, cognitiva e visual. E, é capaz de corrigir o toque impreciso na tela do tablet da pessoa com deficiência. O teclado virtual utiliza comando de voz para falar palavras ou frases que estão sendo digitadas, o que torna possível a comunicação do usuário com outras pessoas. O software permite a criação de pranchas com imagens personalizadas e compartilhar conteúdos entre tablets que possuem o app.

Até 2016, um projeto da rede municipal de ensino de Recife, em Pernambuco, pretende beneficiar cinco mil estudantes especiais com acesso ao Livox. O objetivo é garantir uma rotina diária em sala de aula e o convívio social dessas pessoas. Atualmente, o app é utilizado por 10 mil usuários em 25 idiomas diferentes, entre famílias e instituições de assistência. A ferramenta também é estudada pelo centro de pesquisas para as áreas de cabeça, pescoço e TI do Hospital das Clínicas em São Paulo, o maior da América Latina.

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.