Menos é mais: LinkedIn reduz em 40% número de e-mails enviados a usuários

A empresa prometeu diminuir a frequência e aumentar a relevância das mensagens. Até agora, as reclamações já caíram pela metade

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 30/07/2015 19:00 / atualizado em 30/07/2015 18:38

David Loh/Reuters
 

Grande parte das reclamações de usuários do LinkedIn tinha a ver com a quantidade de emails enviados pela rede social de negócios. Para solucionar o problema, a empresa anunciou que fará mudanças: a partir de agora, os membros recebem e-mails com menor frequência e mais relevância. De acordo com o comunicado, feito no blog oficial do LinkedIn na segunda-feira (27/7), o número de mensagens enviados já dimunuiu em 40% e as reclamações por membro caíram pela metade.


A principal mudança é a implementação do resumo semanal. Ao invés de vários e-mails individuais, os usuários receberão apenas um, com as informações mais relevantes da semana. O mesmo vale para os grupos — as atualizações chegarão juntas, em uma só mensagem.

 

O anúncio também lembra aos usuários do LinkedIn de que é possível controlar a quantidade e a frequência de e-mails que desejam receber por meio de um link de cancelamento localizado na parte inferior da mensagem eletrônica. Isso também pode ser feito em "Configurações", que oferece opções de gerenciamento ainda mais mais refinadas. Aatif Awan, autor da publicação oficial, afirma: "Quando se trata de sua caixa de entrada, a mensagem foi recebida: Menos é mais".

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.