Análise: Mad Max leva toda a insanidade dos filmes para o mundo dos games

Sistema de mundo aberto, combates automotivos e elementos pós-apocalípticos são destaques do jogo

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 10/11/2015 10:00 / atualizado em 29/02/2016 17:00

Álef Calado - Especial para o Correio

MadMax/Reprodução

 

Muito mais do que um simples jogo que mistura corrida e aventura em um ambiente pós-apocaliptico, Mad Max leva para o mundo dos videogames toda a insanidade e genialidade de George Miller. Apesar de não ser uma adaptação direta de Estrada da Fúria, o filme mais recente da franquia cinematográfica, o game apresenta semelhanças com a obra.


Disponível para Xbox One e PlayStation 4, Mad Max chama atenção por contar com um mundo aberto gigantesco, corridas alucinantes e combates surreais. O jogador é capaz de passar algumas boas horas usando o Magnum Opus - o carro modificado do protagonista - para destruir os vários espantalhos de metal retorcido, ou desmantelar e tomar acampamentos governados por inimigos. Cansou do veículo do Max? Sem problemas! Basta levar qualquer um dos automóveis dos inimigos para a base de aliados que ele se tornará seu.

 

As corridas estão presentes em praticamente todo o jogo. Seja por estar fugindo de um comboio de carros inimigo, perseguindo algum veículo especial, ou por estar usando o armamento do automóvel tunado para invadir bases, o jogador sente uma necessidade quase constante de utilizar o turbo do possante. Para deixar o Magnum Opus ainda mais poderoso, Max conta com a ajuda de Chumbucket, um mecânico que resume toda a loucura presente no mundo pós-apocaliptico e considera o carro um presente dos deuses da corrida. 

 

MadMax/Reprodução
 

 

Com relação às lutas, ficou claro que a Warner Bros. Games utilizou como referência a franquia de jogos Batman: Arkham (Asylum, City, Origins e Knight). Além do modo defesa ser semelhante, antes de finalizar o último inimigo de uma gangue, Max dá aquela pausa característica do Cavaleiro das Trevas. 

 

A ideia do "viva, morra e viva de novo", berrada a todo momento pelos Garotos de Guerra - lacaios de Immortan Joe, vilão de Estrada da Fúria - na adptação cinematográfica, serve muito bem para dar uma ideia do nível de dificuldade de Mad Max. Em determinados momentos, o jogador deve atacar acampamentos e destruir espantalhos para reduzir o número de inimigos em uma área. Alguns dos refúgios que devem ser tomados contam com um número de adversários tão grande, que o jogador terá que, literalmente, viver, morrer e viver de novo. 

 

MadMax/Reprodução

 

Repetitivo

Apesar das missões principais e das centenas de tarefas secundárias espalhadas no cenário gigante, Mad Max é extremamente repetitivo. Querendo ou não, chega uma hora em que o jogador para e se pergunta se essa é realmente a primeira vez que ele está fazendo aquilo.

 

A busca pelas sucatas, utilizadas principalmente para comprar upgrades para o Magnum Opus, também se torna uma tarefa repetitiva e chata com o passar do tempo. Além de cada um dos saques render uma quantidade ridícula de ferro-velho, o fato de ser necessário que o jogador destrua carros e desça do veículo no meio de uma missão só para recolher os objetos torna a busca ainda mais complicada e os upgrades no automóvel ainda mais raros.

 

Conclusão

Mad Max é sensacional! Mesmo não contando com muitos elementos da franquia de filmes, o game chama atenção pelo tamanho do mapa principal, pelo carisma de novos personagens, como o mecânico Chumbuquet e o próprio Max, e pela reprodução fiel da insanidade dos Garotos de Guerra.

 

Lançado em setembro deste ano, o game está disponível para Xbox One e PlayStation 4, por R$ 185. Vale o investimento? Depende! Se você realmente curtir jogos que contem com mundo aberto e centenas de missões secundárias, Mad Max é uma ótima escolha e o gasto vai ser muito bem aproveitado.

 

Confira o trailer oficial de Mad Max:  

 

 

 

Avaliação:

- Jogabilidade: 2

- Entretenimento: 2

- Gráficos: 2,5

- Som: 2,5

- Nota final: 9

 

Informações técnicas:

- Publicação: Warner Bros. Interactive Entertainment

- Desenvolvimento: Avalanche Studios

- Plataformas: PlayStation 4, Xbox One, PC

- Classificação: 18 anos

- Jogadores:

- Preço: R$ 185

 

Com informações de Álef Calado

Tags: game max mad max mad
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.