Brasiliense cria app para desacompanhados acharem parceiros de balada

Usuários poderão baixar o Goodfella gratuitamente. Lançamento está previsto para o próximo mês

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 29/01/2016 17:41 / atualizado em 29/01/2016 18:29

Goodfella/Divulgação
 

 

O publicitário brasiliense Rodrigo Carvalho, 30 anos, convidou seus melhores amigos para uma festa na Asa Norte, na noite de um sábado, em março de 2013. Mas, os companheiros recusaram o convite. E enquanto se lamentava em casa por não ter ido ao evento, Rodrigo teve a ideia de solucionar possíveis futuros abandonos: criar um aplicativo de celular para encontrar outros desacompanhados que quisessem curtir a mesma balada.


Quase um ano depois, a ideia se tornou real: pai do Goodfella (“bom amigo” em tradução livre), o publicitário agora faz os ajustes finais para lançar o app gratuito (para Android e IOS) na segunda semana de fevereiro.

 

“Quis fazer algo para facilitar a busca por um companheiro que queira ir ao mesmo show ou festa”, conta Rodrigo. “Eu já tinha noção de Photoshop e InDesign — programas de edição de imagem — e, por isso, fiz a interface do aplicativo”, acrescenta. O material agora está a cargo de uma empresa de tecnologia, que vai “colocar o app para funcionar”.

 

Leia mais notícias em Tecnologia 

 

Rodrigo lembra os empecilhos para encontrar alguém que “comprasse a ideia”. Havia uma empolgação inicial dos interessados, mas isso não bastava para montar o aplicativo. “Diziam que estavam com muito serviço e não tinham tempo”, recorda.

 

De abril a dezembro do ano passado, ele se dividiu entre o trabalho, como redator publicitário em uma agência, e o novo empreendimento: o brasiliense planeja criar uma startup — pequena empresa sob modelo de negócio inovador — e expandi-la para outros estados do Brasil.

 

Para isso, ele iniciou a divulgação do Goodfella três meses antes do lançamento previsto. E, enquanto o app não vai ao ar, ele anota os conceitos para desenvolver outros programas. “Eu me considero criativo. Já tive várias ideias. Mas, por enquanto, vou esperar a repercussão do Goodfella”, comenta.

 

Antes de se lançar totalmente na vida de empreendedor, porém, Rodrigo terá de recuperar o investimento feito. “Agora estou em busca de parceiros, bares, restaurantes e casas de show que queiram anunciar no aplicativo”, avisa o brasiliense, que prevê compensar o gasto em um ano.

 

Amigo de balada

O Goodfella estará disponível gratuitamente para sistemas Android e IOS. Os usuários poderão aproveitar a versão livre, com as funções básicas. O primeiro passo é selecionar um evento ou estabelecimento — bares, restaurantes, cinema. Em seguida, o solitário vê os interessados e tem a opção de aprová-los ou rejeitá-los.

Em caso de aceitação mútua, ele inicia um bate-papo com outra pessoa que está na mesma condição. O criador do app pretende lançar também o “modo assinante” para o Goodfella, mas não definiu os preços. O modelo deverá conceder descontos e oferecer promoções exclusivas em estabelecimentos.

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.