Presidente da Anatel sinaliza fim da era da internet ilimitada no Brasil

Para João Rezende, é importante que a Anatel dê garantias para que não haja um desestímulo aos investimentos pelas companhias nas redes

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 18/04/2016 19:55

Valter Campanato/Arquivo ABr/ 28/9/14
 

 

O presidente da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), João Rezende, explicou que a era da internet ilimitada está chegando ao fim. Apesar de cautelar da agência publicada nesta segunda-feira (18/4) ter proibido por 90 dias as empresas de banda larga fixa de reduzirem a velocidade da conexão ou cortarem o acesso, Rezende afirmou que a oferta de serviços deve ser "aderente à realidade".

"Não podemos trabalhar com a noção de que o usuário terá um serviço ilimitado sem custo", afirmou Rezende. "Em nem todos os modelos cabe ilimitação total do serviço, pois não vai haver rede suficiente para tudo."

 

Leia mais notícias em Tecnologia

 

O presidente da Anatel reconheceu, porém, que a culpa, nesse caso, é das empresas, que "deseducaram" o cliente. "Acho que as empresas, ao longo do tempo, deseducaram os consumidores, com essa questão da propaganda de serviço ilimitado, infinito. Isso acabou, de alguma maneira, desacostumando o usuário. Foi má-educação", afirmou.

 

Para Rezende, é importante que a Anatel dê garantias para que não haja um desestímulo aos investimentos pelas companhias nas redes. "Acreditamos que isso é um pilar importante do sistema. É importante ter garantias para que não haja desestímulo ao investimento. Não podemos imaginar um serviço ilimitado."

Consumo

Uma das principais obrigações que as empresas terão que atender, conforme determinação da Anatel, é criar ferramentas que possibilitem ao usuário acompanhar seu consumo para que ele saiba, de antemão, se sua franquia está próxima do fim. Se a opção for criar um portal, o cliente poderá saber seu perfil e histórico de consumo, para saber que tipo de pacote é mais adequado.

Além disso, a empresas terão que notificar o consumidor quando estiver próximo do esgotamento de sua franquia e informar todos os pacotes disponíveis para o cliente, com previsão de velocidade de conexão e franquia de dados.

Uma vez que a Anatel apure o cumprimento dessas determinações, em 90 dias, as empresas poderão reduzir a velocidade da internet e até cortar o serviço se o limite da franquia for atingido. Para não ter o sinal cortado ou a velocidade reduzida, o usuário poderá, se desejar, comprar pacotes adicionais de franquia.

"Acreditamos que as empresas falharam e estão falhando na comunicação com o usuário", afirmou Rezende. "Também acho absurdo suspender serviço sem avisar usuário", acrescentou.

Rezende disse não ver relação entre a mudança na postura das empresas e a queda da base de assinantes de TV por assinatura. Entre agosto de 2015 e fevereiro de 2016, as empresas perderam quase 700 mil clientes, de acordo com a base de dados da própria Anatel. Ao mesmo tempo, a Netflix, serviço de vídeo por streaming, já contava com 2,2 milhões de assinantes no início do ano passado. "Neste momento, não vejo essa concorrência", afirmou Rezende.

Rezende disse que as empresas que quiserem continuar a oferecer pacotes de internet ilimitada poderão fazê-lo. Segundo ele, esse erro também já foi cometido pelas empresas quando ofereciam pacotes ilimitados de voz.

"Quem quiser oferecer pacote ilimitado vai ver até onde vai suportar esse modelo de negócios", afirmou. "Acho que as empresas tiveram um erro estratégico lá atrás de não perceber que qualquer mudança, como serviço ilimitado de dados, levaria a um momento em que seria preciso corrigir a rota, sob risco de queda de investimentos."

Ao comparar o uso da internet com o consumo de energia elétrica, a superintendente de Relações com Consumidores da Anatel, Elisa Leonel, disse que o modelo de franquias é opcional, mas ressaltou que alguns consumidores poderiam se surpreender com a conta no fim do mês se o modelo fosse de consumo aberto.

"As empresas poderiam deixar o cliente consumindo megabytes o mês todo e mandar a conta, mas como o consumidor não está habituado a isso, pode levar a susto no final do mês", afirmou Elisa. "A franquia garante o controle do seu uso, mas não é obrigatório. É para o bem dele."

O secretário de Telecomunicações do Ministério das Comunicações, Max Martinhão, disse que a medida chega para dar equilíbrio e segurança para o consumidor. "As coisas estavam acontecendo de forma muito desordenada", afirmou. "A medida traz tranquilidade nesse momento."

O Sindicato Nacional das Empresas de Telefonia e de Serviços Móvel Celular e Pessoal (Sinditelebrasil), que representa as principais empresas do setor, informou que não iria se pronunciar sobre a cautelar, porque cada empresa tem um posicionamento sobre a questão.

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.
 
Jose
Jose - 29 de Abril às 08:13
Quando lá fora as coisas são eficientes e com um custo razoável, aqui no Brasil sempre a velha desculpa dos empresários de altos impostos e o governo devolve a culpa para as empresas! Agora copiar o que é de bom não é possível, agora criar o que é de pior para o cliente cobrança preços abusivos, no Brasil somos os campeões! É lamentável que a ANATEL que deveria ter uma análise imparcial, defende os interesses absurdos dos abutres da comunicação! Cada dia me convenço que este país não tem jeito.
 
paulo
paulo - 25 de Abril às 16:59
As Agências, ditas reguladoras, só atuam no interesse das empresas. Alguem já viu a anatel obrigando as empresas de telefonia a cumprirem o atendimento por uma pessoa e não por uma gravação? A ANP fiscaliza o combustível e a margem de lucros dos cartéis dos postos. E por aí vai. Os consumidores deveriam boicotar as teles!!!
 
alvailton
alvailton - 24 de Abril às 22:12
O Brasil esta perdido uma autoridade apoiar as operadora que estão de olho no bolso do contribuiente como abutres, é somente fazer um pesquisa para saber como isto e tratado nos EUA, UE e JAPÃO E CANADA para vemos que simplismente hajam que somos burros.
 
paulo
paulo - 23 de Abril às 08:05
Incrível como uma agência regulatória trabalha a favor das empresas e contra os consumidores. A Anatel é o exemplo mais uma agência que não deveria existir.
 
ney
ney - 21 de Abril às 07:44
Anatel não é para defender os interesses dos cidadãos?
 
ney
ney - 21 de Abril às 07:43
Brazil no caminho do retrocesso. Esse Sr. está no lugar certo?
 
edilson
edilson - 20 de Abril às 20:41
Estou começando a achar que esse presidente da Anatel está recebendo propina das operadoras, para aceitar um retrocesso desse, alo juiz moro, mais um pra sua lista.
 
Leonardo
Leonardo - 20 de Abril às 18:31
Ele com certeza tera internet de graça, so pode !
 
Jair
Jair - 20 de Abril às 12:54
É uma pena eu o correio não divulga meu comentário, mas não posso calar. Diante de um país em que a corrução está em qualquer lugar, dizer que que o presidente da ANATEL está participando dessa trama, é simplesmente antecipar a notícia, que irá surgir daqui a alguns meses." O ex presidente da Anatel recebeu propina para apoiar e aprovar a cobrança limitada da internet fixa". É isso!!!!!!.
 
Maria
Maria - 20 de Abril às 09:49
Retrocesso COLOSSAL, mas a pergunta que não quer calar é porque não investem mais para ter um serviço de qualidade, de uma maneira geral é péssimo, várias operadores só atual em alguns bairros (em Brasília) por que? acordo entre elas? uma oferece oferece velocidade muito maior que a média, por que? convenhamos somos reféns , porque várias vezes fiz a medição da velocidade e nunca estava recebendo nem perto do que contratei, será que recebo sempre a qualidade de serviço pelo qual eu pago e pago caro ??????? Podem ter certeza, não vou pagar caro para ser limitada, vou boicotar os serviços, diminuir a utilização, e vamos voltar para a ignorância digital que só interessa para certas classes !!!!!
 
Andre
Andre - 19 de Abril às 21:55
Não queremos limite na internet , Vcs querem ganhar dinheiro em cima disso , se colocarem esse limite ... Então paramos o Brasil ! #FORANETLIMITADA
 
Rodrigo
Rodrigo - 19 de Abril às 20:36
perderam 700mil clientes e estão chorando? limitem a internet e voces vão ver o que é perder clientes. somo o pais que paga mais caro nesse lixo de serviço que as empresas fornecem e ainda querem fazer isso.
 
Marco
Marco - 19 de Abril às 18:57
"o negócio" é só $$$. É so a metade dos assinantes cancelarem por um mes pra ver se o discurso nao muda.
 
Diego
Diego - 19 de Abril às 17:35
Um verdadeiro absurdo!!! Acham que vamos assistir um retrocesso desses parados!!! Cartel sem vergonha alienante!!!
 
UVC
UVC - 19 de Abril às 11:40
Safadeza isso sim... pq ja pagamos por essa merda de internet e nunca recebemos o que pagamos.. sempre vem mais fraco..mais uma safadeza p arrancar mais dinheiro do povo e eles encherem os bolsos..
 
Breno
Breno - 19 de Abril às 11:20
Tudo nesse país é desse jeito. Basta surgir o Netflix que a solução das operadoras concorrentes com suas TVs a cabo é BOICOTAR a concorrente. Da mesma maneira aconteceu com o Uber. Ninguém pensa em melhorar o serviço pra concorrer, apenas em prejudicar o consumidor e trazer cada vez mais retrocesso pra esse país. Daqui a pouco começam a vender walkmans e videocassetes nas lojas... :/
 
Jackson
Jackson - 19 de Abril às 10:09
Porque o cartola da Anatel tbm não fiscaliza a entrega do serviço contratado com a mesma ênfase que faz a defesa do fim da internet ilimitada??????
 
Jair
Jair - 19 de Abril às 10:09
Não gostaria de abordar o assunto dessa forma. mas sou obrigado: quanto de propina esse cidadão está recebendo para aprovar uma medida dessas, em uma economia em frangalhos. Chame o japonês!
 
saulo
saulo - 19 de Abril às 09:55
Isso é uma absurdo!!!! Os brasileiros foram mal acostumado pelas empresas?????? VERGONHA!!
 
Diego
Diego - 19 de Abril às 09:48
Esse é o lobby mais descabido que estou vendo em minha vida. Torço que òrgãos de defesa do consumidor entrem com ações na justiça para levar até ao STF essa situação mais vergonhosa que estou vendo em toda a minha vida,se quiserem aumentar o preço ok. Mas limitar a navegação é uma piada, vou ter que escolher quais videos poderei ver, estamos acostumados a navegar livremente, uma derrocada total, a empresas sentiram a força dos usuários, eu mesmo trocarei de operadora,se a atual que estou vier com esses limites vergonhosos. Quantos milhões de lobby essas operadoras não estão gastando para fazer com que este senhor diga uma insanidade dessas, uai coloque impostos para netiflix, criem ferramentas parecidas, mas agora sair punindo a todo mundo. Vontade de chorar!!! vergonha, podridão, fraude.
 
Daphne
Daphne - 19 de Abril às 09:41
Pelo amor de Deus, vcs podiam dar as noticias com mais precisão! A cautelar foi só para o serviço de banda larga FIXA, e no jornal impresso vcs colocaram fotos de celulares na notícia. Isso só causa confusão para o leitor!
 
Aline
Aline - 19 de Abril às 08:21
Aff!!! Fomos mal acostumados? Nós e todo o mundo. Que retrocesso querer limitar internet! E o pior é a Anatel apoiar esse cartel
 
Franz
Franz - 19 de Abril às 08:04
O Sr. João Rezende já foi conselheiro na Transpetro, precisa explicar mais alguma coisa?
 
Alexandre
Alexandre - 18 de Abril às 23:39
Esse cara é um LIXO que foi colocado lá, apenas por votos políticos. Não tem lisura empresarial para conter um avanço tecnológico. Deveria virar gari e tentar viabilizar uma melhor coleta de lixo, que é seu ramo.
 
Sérgio
Sérgio - 18 de Abril às 22:49
Me preparando aqui ja pra tacar bomba seja onde for se isso acontecer. Atenciosamente : Usuário ativo da internet.
 
Marcio
Marcio - 18 de Abril às 22:25
As empresas podem até ter acostumado os clientes, mas nós não temos nada a ver com as decisões estratégicas de ninguém. Agora culpa mesmo tem a ANATEL. Existe um oligopólio das telecomunicações nesse país. A agência que deveria ser a intervenção do Estado para combater essas práticas e o cartel, acabou virando refém das empresas porque se mostrou fraca. Se deixou ser capturada pelo mercado; De reguladora a ANATEL só tem o nome, porque quem regula as Tele aqui é o Cartelziho. Eles não permitem a entrada de outras empresas, barram a VODAFONE, lembra? Agora ta aí, NET Claro, Vivo GVT, se juntam pra ferrar ainda mais o consumidor, sem falar na Oi da família molusco pixuleca...Eles impõe e a gente simplesmente aceita porque não podemos ficar sem o serviço. O Governo não tem capacidade de infraestrutura e fica com medinho e aceita o ferro em cima do consumidor porque tem medo de perder as migalhas que eles chamam de investimento "alta tecnologia" é rídiculo o serivço de Telecom no BR, abusivo e qualidade infinitamente inferior ao que se tem pelo mundo; Tomara que o Google e Facebook consigam concluir o projeto dos cabos submarinos, pra falir esse cartel, pelo menos na internet
 
Hailton
Hailton - 18 de Abril às 21:31
Se virem só sei que se limitarem minha internet eu vou ser um dos primeiros a cancelar minha assinatura, vou voltar a escrever cartas a mão! Retrocesso isso sim!