NINTENDO

Switch, novo console da Nintendo, ganha data de lançamento mundial

O videogame da empresa japonesa entra no mercado no dia 3 de março. Nos Estados Unidos, o preço sugerido é de US$ 299,99 %u2014 aproximadamente R$ 960. Não há previsão de lançamento no Brasil

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 16/01/2017 11:57 / atualizado em 16/01/2017 13:18

Nintendo/Divulgação

O Nintendo Switch ganha data de lançamento mundial para o dia 3 de março. O console vem acompanhado dos Joy-Con — controles versáteis que se dividem para o uso de dois jogadores —, suporte para conectar o Switch à televisão, cabo HDMI e adaptador AC. O preço está definido apenas nos Estados Unidos, onde custará US$ 299,99, cerca de R$ 960. Apesar do lançamento ser anunciado como mundial, não há previsão da chegada do Switch ao mercado brasileiro.

 

O console japonês traz um novo conceito para o mundo dos gamers. O Switch se conecta não só à televisão, mas também funciona com o uma tela portátil de 6,2 polegadas. A bateria varia de acordo com a demanda de cada jogo, mas a Nintendo estima que seja possível jogar por seis horas com uma única carga.

 

Nintendo/Divulgação

Outra nova proposta trazida pelo Switch é o Joy-Con. O controle pode ser separado em duas peças, usadas por um mesmo jogador (em cada uma das mãos) ou por duas pessoas. Para o uso portátil, o Joy-Con é acoplado nas laterais da tela. O controle vem equipado com um sensor de movimento, efeitos vibratório — que trazem mais realismo as ações realizadas em cada jogo — e um botão para tirar prints.

 

Alguns jogos já são compatíveis com a nova plataforma: The Legend of Zelda: Breath of the Wild, 1-2-Switch, ARMS, Mario Kart 8 Deluxe, Slaptoon 2, Super Mario Odyssey, Snipperclips — Cut it out, together. A Nintendo anunciou também um serviço online — que será gratuito até setembro deste ano — para interação entre jogadores.

 

Veja a aparência e como funciona o Nintendo Switch no vídeo em inglês.

 

 

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.