Publicidade

Estado de Minas

Adeus, conforto! Fabricante quer acabar até com apoio de braços nos aviões

É possível que, no futuro, a classe econômica piore, com poltronas que não reclinam nada e assentos virados de costas


postado em 14/07/2015 13:22 / atualizado em 14/07/2015 13:30

(foto: Zodiac Aerospace/Divulgação)
(foto: Zodiac Aerospace/Divulgação)
 

Quem viaja muito de avião costuma reclamar da classe econômica das companhias: poltronas apertadas, que reclinam muito pouco e com uma distância curta entre uma e outra são campeãs de descontentamento. Mas saiba que o que já está ruim pode piorar.


Um projeto da Zodiac Seats, uma grande fabricante de assentos para aeronaves, pretende reformular o formato das poltronas e a sua disposição na cabine, de forma que caibam ainda mais passageiros por avião.

 

A distância entre as poltronas pode ter ficado maior - segundo a Zodiac, o espaço aumentou em 15% -, mas, fora isso, o conforto não foi prioridade. Não há apoio para os braços e, aparentemente, elas não são reclináveis.

 

Além disso, o assento do meio fica virado ao contrário, voltado para a cauda do avião - para quem já tem estômago fraco para voar, imagine ficar de costas durante todo o percurso.

 

Achou bizarro? Então torça para que esse não seja o futuro da aviação de baixo custo.

 

Veja mais detalhes aqui:

 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade