MOCHILEIROS

Veja dicas para arrumar a mochila e levar o mundo nas costas com conforto

Fazer a mochila perfeita para uma longa viagem aventureira não é fácil. Planejamento é a palavra-chave para não carregar peso à toa. Veja dicas

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 02/10/2015 16:17 / atualizado em 06/10/2015 16:20

Laisa Queiroz /

Arquivo Pessoal. Argentina. Leonardo Lima na Patagônia.

Arrumar uma mala eficiente é muito interessante para qualquer tipo de pessoa e de viagem. Mas se você planeja trilhar novos caminhos com uma mochila nas costas, saber o que e como levar é essencial. Normalmente, mochileiros passam meses fora de casa. Por isso, é necessário ter tudo o que for importante para o período (e aí podem entrar roupas de verão e de inverno, por exemplo), mas sem exagerar no peso para não trazer danos à coluna.

Assim, é recomendável não carregar mais do que 25% do seu peso. “Mesmo em que a viagem seja longa, não leve mais do que isso. Melhor parar em uma lavanderia por duas horas do que passar vários dias sofrendo para carregar a mochila”, recomenda a blogueira de viagens Lala Rebelo, 26 anos, que conhece 50 países. “Escolher um equipamento confortável é essencial. Imagine que ele fará parte do seu corpo.”

Para a viajante profissional, nada é mais importante que planejamento. Na mochila, não pode faltar, mas também não deve sobrar, e, para não ter erro, o melhor é fazer uma lista do que levar. “Penso em cada combinação de modelos, para cada dia e ocasião. Assim, posso otimizar meu espaço e levar o mínimo de peso possível, sem deixar de lado meus cosméticos, secador e bijuterias”, ressalta.

Na hora de acomodar as peças escolhidas, o ideal é guardar por “departamentos”: camisetas e blusas em um lado, bermudas em outro etc. “Gosto de dobrar em rolinhos, pois amassa menos a roupa. Se isso não for um problema pra você, dobre como se fosse guardar no armário, pois ocupa menos espaço. Só não deixe tudo amassado, pois essa é a forma que mais gasta espaço. Depois, deixe-as o mais compactas possível, pois assim amarrota menos.”

Por fim, a grande questão: se os mochileiros e mochileiras devem viajar com o mínimo possível, como fazer compras pelo caminho? Sejam suvenires, roupas ou calçados, se você está no limite de peso, nada disso vai caber na bagagem. Uma boa solução é enviar os objetos à cidade onde você mora. “O serviço dos correios é confiável em muitos países, como o Brasil e os Estados Unidos. Porém, se você está em um onde isso é mais arriscado, como eu, que moro no Panamá, mande por empresas de entrega, como FedEx, SHL ou UPS. Mas lembre-se de que esses produtos estão sujeitos aos impostos.”

Quebra-galhos
A blogueira não viaja sem alguns itens pouco óbvios, que podem até ser considerados estranhos, mas que são uma mão na roda em diversas situações. Um deles é a fita-crepe. “Uso para colocar nas embalagens de shampoo e hidratante, por exemplo. Por melhor que elas sejam, sempre há o risco de vazar e, assim, me previno”, defende.

Sacolas plásticas também são ótimas companheiras de viagem, principalmente para separar a roupa suja da limpa. “Uma tesourinha também salva, para abrir lacres e tirar etiquetas de roupas.” Para quem gosta de comprar muitas roupas ou para quem, simplesmente, tem dificuldade de guardar tudo o que levou, a dica é usar sacos a vácuo. Com eles, as peças ocupam até metade do espaço.”

Aos que ficam tensos antes de fazer o check-in, com medo de ter ultrapassado o limite de peso permitido, vale a pena comprar uma balança portátil para malas e mochilas. Ela é bem pequena e leve. “Especialmente se você vai viajar pelas companhias low cost, como Ryanar e Easyjet, que têm políticas de bagagem super-rígidas, é muito prático. Não viajo sem”, finaliza.

 

Proteja a coluna

» Experimente a mochila na loja antes de comprar para ver se é confortável


» Se for a um lugar que chova, dê preferência a equipamentos que venham com capa de chuva


» Opte por mochilas que tenham alça para amarrar na cintura, que alivia o peso, e que abram de cima a baixo; nos formatos tipo “saco”, que só abrem por cima, você tem que tirar todo o conteúdo para alcançar o que está no fundo

» Há modelos em que dá para esconder as alças, o que facilita na hora de despachar

» Escolha um tamanho que corresponda ao seu tempo de viagem, mas não coloque mais que 25% do seu peso dentro dela

» Coloque por baixo o que for usar menos, como um casaco pesado ou uma roupa chique

» Guarde as roupas por “departamento”, dobradas (em rolinho ou do jeito que dobra no armário) e o mais compactadas possível

» Prefira tecidos que não amassem muito, como viscose, acrílico, poliéster, microfibra, nylon, elastano e jeans com stretch, desses modelos mais justos, como skinny; evite levar peças 100% algodão ou de linho e seda

» Troque as embalagens dos cosméticos por frascos menores: assim, você leva um pouco de tudo

» Se gosta de comprar muitos suvenires e achar que não vai caber na mala, use um serviço de entrega para mandar os objetos à sua cidade.

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.