Publicidade

Estado de Minas

Sem dinheiro? Veja as cidades campeãs em custo-benefício na América do Sul

Do Equador à Argentina, as atrações passam por ilhas e vulcões. Confira as dicas de passeio e hospedagem preparadas pelo site de viagens KAYAK


postado em 07/10/2015 19:12 / atualizado em 07/10/2015 19:12

De carro ou de avião, a América do Sul pode ser uma boa alternativa para quem quer viajar para o exterior. Para visitar as maravilhas do continente, não é necessário ter passaporte nem visto. Além disso, as passagens e os gastos com estadia, alimentação e transporte costumam ser menores em países onde a taxa de câmbio favorece o real. Mesmo sem dinheiro para bancar uma viagem luxuosa, é possível conhecer alguns pontos da parte sul da América onde o custo-benefício faz sucesso e atrai turistas brasileiros.

 

Galápagos, Equador

(foto: AFP PHOTO/RODRIGO BUENDIA )
(foto: AFP PHOTO/RODRIGO BUENDIA )
 

Para começar, conheça o lugar por onde passou Charles Darwin. Galápagos é um paraíso dividido em 13 ilhas dentro do Equador. O passeio é exótico: vai de caminhadas por praias de areia vermelha a visitas a vulcões em plena atividade. Não há voos diretos do Brasil para lá, mas vale o esforço. Basta ir até a Cidade do Panamá ou à Bogotá. O preço das passagens não é muito animador, pois está em torno de R$ 3.900. Por outro lado, a hospedagem fica mais em conta. Diárias em hotéis três estrelas custam, em média, R$ 185.

 

San Andrés, Colômbia 

(foto: AFP PHOTO/Carolina Iglesias )
(foto: AFP PHOTO/Carolina Iglesias )
 

A segunda parada do roteiro de cidades amigas do bolso é uma ilha a 700 quilômetros da costa da Colômbia. Conhecida pelo mar de sete cores, San Andrés é paraíso duas vezes:por causa do mar e da facilidade de fazer compras, pois é uma zona franca. As noites da ilha são agitadas, com muito reggae e reguetón. Há voos saindo direto de Bogotá para San Andrés. O custo total de uma viagem de cinco dias para lá fica entre os R$ 2 mil.

 

Viña del Mar e Valparaíso, Chile 

(foto: REUTERS/Eliseo Fernandez)
(foto: REUTERS/Eliseo Fernandez)
 

Para quem já está em terras chilenas, vale a pena prolongar a viagem. Separados por dois quilômetros, apenas, Viña del Mar e Valparaíso são os destinos litorâneos mais famosos do Chile, banhados pelas águas geladas do Pacífico. A opção com melhor custo-benefício é sair de Santiago de ônibus. Ruas estreitas, bondes e restaurantes de boa qualidade são paradas obrigatórias. O custo total aproximado para uma visita de cinco dias à região é de R$ 2 mil.

 

Mendoza, Argentina 

(foto: Cavas Wine Lodge/Divulgação)
(foto: Cavas Wine Lodge/Divulgação)
 

Os brasileiros que buscam a Argentina como destino de férias certamente irão esbarrar em algumas das 1.200 vinícolas de Mendoza, cidade famosa por aliar duas atrações que combinam bastante: vinho e neve. Menos procurada que Buenos Aires, por exemplo, a cidade oferece opções de esportes radicais, hotéis de luxo e prédios históricos. Há voos diretos saindo do Brasil para lá — o valor da passagem está em torno dos R$ 1.300 e a hospedagem em hotéis três estrelas custa, em média R$ 300 a diária.

 

Ushuaia, Argentina 

(foto: Mauricio Santos/Divulgação)
(foto: Mauricio Santos/Divulgação)
 

Apesar de ser conhecida como a Terra do Fogo, Ushuaia tem temperaturas que podem chegar a 20º negativos. Paraíso dos praticantes de esportes radicais na neve, a região também oferece vulcões (daí o nome do lugar). Para visitar o local, vá até Buenos Aires e, de lá, pegue um avião para o aeroporto de Ushuaia. As passagens aéreas custam cerca de R$ 2 mil e diárias em hotéis três estrelas, R$260.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade