SÃO PAULO

Natureza sem limites: na cidade de Socorro, aventura acessível para todos

A 138km da capital paulista, turistas desfrutam de um destino repleto de atividades junto ao verde. Projeto de inclusão é reconhecido mundialmente

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 22/11/2015 09:00

Karina Fusco

 

Ricardo Beccari/Porusa Gruta do Anjo/Divulgação
 

De um lado, muita tranquilidade e cantinhos convidativos para descansar. De outro, agito e adrenalina em diferentes proporções. Em comum nestes paradoxos está o contato com a natureza em Socorro, uma das principais cidades do Circuito das Águas Paulista, a 138 quilômetros de São Paulo. No destino de cerca de 40 mil habitantes, turistas de todos os cantos do Brasil chegam para se divertir nas inúmeras atividades de ecoturismo. E engana-se quem acha que os frequentadores são apenas jovens ávidos por aventura. A verdade é que famílias inteiras estão descobrindo que Socorro tem atrações para todos os gostos e idades, seja para quem busca poucas, seja para quem prefere muita emoção. Por toda esta oferta, crianças, adultos e até idosos embarcam nas atividades de lazer e fazem dali um lugar tão procurado quanto o litoral no verão e a montanha no inverno. Porém, sem filas e congestionamentos.

As principais atrações estão espalhadas pela zona rural, que conta com roteiros atrativos e organizados, estradas bem conservadas e com sinalização por todos os lados. O Rio do Peixe, que batiza um dos corredores turísticos, é o protagonista do turismo local e o rafting é o carro-chefe. Um dos destaques é o rafting de 4km, que pode ser feito também por crianças a partir de 5 anos e idosos. Isso mesmo! E com muita segurança. O proprietário da agência PróximAventura Canoar, Charles Gonçalves, comemora o fato de cada vez mais adeptos mirins e da melhor idade embarcarem  com adultos nos botes, o que é permitido quando o nível do rio está baixo. “O meu cliente mais velho tem 83 anos. Fez rafting pela primeira vez este ano e já voltou oito vezes”, revela.

 

Proxima Aventura Canoar/Divulgação
 

Realmente, a maior parte do percurso é bem tranquila. Em alguns trechos, são necessárias algumas manobras para que o bote não enrosque nas pedras, mas também existem pequenas corredeiras que garantem uma dose razoável de adrenalina, porém, sem sobressaltos. No final do passeio, que dura 2h30, é possível dar um mergulho na água gelada e, após deixar o bote, há uma trilha que leva à estrada, onde um caminhão da agência aguarda para transportar os aventureiros de volta à base, para que possam tomar banho e se trocar. O valor do chamado minirrafting é de R$ 95,00.

Já para aqueles que querem mais emoção é possível optar pelo rafting de 7 km, com duração de 3 horas. Ao todo são 22 corredeiras, sendo as últimas as mais radicais. Nesste caso, crianças e idosos não são autorizados. Para embarcar é preciso ter mais de 15 anos e desembolsar R$ 110,00.

 

Da aventura à tranquilidade

 

Mas nem só de rafting vive Socorro. No Rio do Peixe, é possível praticar também boia cross, canoagem, stand up paddle, acqua ride e eco boat, que é o passeio de banana boat puxado por uma lancha, com parada em uma cachoeira. Fora da água dá para sentir o coração acelerar com rappel, tirolesa, arvorismo, cavalgadas, mountain bike, down hill, off road e caminhadas.

 

Karina Fusco/Esp. CB/D.A Press
 

Para aproveitar ao máximo as atividades, vale eleger um dos parques de turismo de aventura como o Kango Jango, o Parque dos Sonhos e o Monjolinho. Neles há completa infraestrutura de lazer, restaurantes, redes sob árvores e até a chance de dar um mergulho em alguns pontos do rio.

Para quem prefere calmaria, um passeio imperdível é a visita à Gruta do Anjo, na rota turística do Rio do Peixe, que fica na propriedade da pousada homônima. O bilhete custa R$ 25,00 e dá direito a um passeio de pedalinho e ao ingresso ao vizinho Parque Kango Jango. Na entrada, há uma subida íngreme, que pode ser feita de carro, até o local que a cada dia recebe mais turistas. O encantamento  é inevitável.

A gruta artificial se formou entre as décadas de 1960 e de 1990. Na propriedade da família Bortolotti funcionou uma empresa de extração de minerais. Quartzo, feldspato e granito eram retirados e vendidos para a fabricação de vidros, porcelanas e para a pavimentação asfáltica.

 

Karina Fusco/Esp. CB/D.A Press
 

O neto do fundador e hoje um dos administradores do local, Ângelo Bortolotti Júnior, trabalhou durante 10 anos no negócio e conta que, em 1993, assim que a jazida foi desativada e as bombas de drenagem retiradas, a superfície foi acumulando água ao longo de três anos e formou-se uma espécie de piscina natural, com a profundidade máxima de três metros. Por isso, veio o apelo turístico e os pedalinhos puderam ser colocados ali.

Ao entardecer, a luz do sol surge entre as fendas da gruta formando um cenário ainda mais bonito, que pode ser visto de terça-feira a domingo, das 9h às 17h. “Entre os meses de novembro e fevereiro, a iluminação natural fica ainda mais privilegiada”, revela Júnior.

Vale dar uma volta no centro da cidade com olhar atento principalmente à Estação Socorro, um espaço cultural e gastronômico recém-inaugurado no prédio do início do século 20, onde funcionou a estação ferroviária da cidade. Além de conhecer um pouco da história da produção cafeeira que era escoada por ali para o Porto de Santos, o turista poderá encontrar e levar para casa muitos produtos artesanais locais, como queijos, geleias, doces, café e cachaça.

 

Referência em acessibilidade

 

Hotel campo dos Sonhos/Divulgação
 

No quesito estadia, Socorro vem ganhando notoriedade não só pelos bons hotéis e pousadas, mas principalmente pelos resultados de um trabalho que começou há cerca de dez anos e fez do município uma referência nacional em turismo acessível. Com o passar do tempo, o reconhecimento ultrapassou fronteiras. Em 2014, Socorro recebeu o Prêmio Rainha Sofia de Acessibilidade, outorgado pelo Conselho Real para Deficiência, do governo da Espanha.

Não só os prédios públicos e os meios de hospedagem fizeram sua parte, oferecendo estruturas totalmente adaptados, como também muitas atividades de aventura foram adaptadas a pessoas com deficiência ou mobilidade reduzida. Um dos destaques é o Hotel Fazenda Campo dos Sonhos, no bairro Lavras de Baixo, uma propriedade de 600 mil m² com dezenas de opções de lazer, sobretudo para quem busca contato com a natureza. Mesmo quem não tem qualquer limitação, não consegue sair de lá sem se impressionar com a amplitude do projeto de acessibilidade.

Pessoas com as mais diversas limitações podem aproveitar tudo o que o hotel oferece. Além de quartos equipados com barras e mais espaçosos, há piscinas aquecidas acessíveis, playgroung com brinquedos maiores que recebem cadeiras de rodas, charretes adaptadas e até sela com encosto. As crianças e adultos se divertem muito com os passeios de charrete, a cavalo, de trator, de triciclos ou quadriciclos e também no pedalinho em formato de caravela.

 

Hotel campo dos Sonhos/Divulgação
 

Há ainda contato com animais na fazendinha, lagos para pesca, trilhas, borboletário, minhocário e arvorismo. Por ali só fica parado quem quer. Para os adultos, vale visitar o alambique e a casa de doces, para conhecer de perto a fabricação de cachaças, licores e doces diversos. O de leite é daqueles cremosos do tempo dos nossos avós. Há ainda o plantio e a torrefação de café. Se o visitante quiser levar para casa os sabores que aprovar, é só passar na lojinha do hotel antes de fazer o check-out.

O conforto e a boa comida — são quatro refeições ao dia — são outros atributos que fazem do hotel um dos mais procurados na cidade que recebe mais de 500 mil turistas por ano. O café caipira servido à tarde é daqueles que fica na memória até dos mais alinhados à necessidade de fazer dieta. Rabanada, canjica, bolinho de chuva, virado de banana, pães e bolos caseiros são algumas das delícias que podem ser saboreadas. Uma estadia que comprova que simplicidade e mordomia podem muito bem andar juntas e oferecer ao turista excelentes oportunidades para dar uma pausa na correria do cotidiano.

Onde ficar

 

Hotel Fazenda Campo dos Sonhos
As diárias para casal com pensão completa saem a partir de
R$ 390,00 na baixa temporada e R$ 520,00 nos períodos de férias. Crianças de 5 a 12 anos pagam a partir de R$ 125,00 por dia. Menores de 4 anos não pagam.
Informações e reservas: (19) 3895-7644 ou www.campodossonhos.com.br

Hotel Fazenda 7 Belo
Oferece programação especial de lazer para crianças e adultos. As diárias para casal em baixa temporada custam a partir de
R$ 400,00 com pensão completa. Crianças de 5 a 10 anos pagam R$ 100,00 por dia e para menores de 4 anos é cortesia.
Informações e reservas: (19) 3855-3331 ou www.hotelfazenda7belo.com.br

Pousada Igarapé (Opção econômica)
Uma das mais novas opções da cidade fica a apenas 600m do centro da cidade. As diárias saem a partir de R$ 180,00 por pessoa com café da manhã. Crianças até 4 anos não pagam.
Informações e reservas: (19) 3895-5673 ou www.pousadaigarape.com.br


 

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.