Quer surfar? Siga para Goiás! No meio do cerrado, a natureza se mostra bela

O Rio Quente Resorts é uma boa opção para quem ainda não decidiu o que vai fazer no fim do ano. Piscinas termais, praia artificial, trilhas, esportes radicais e o Hotibum são algumas das atrações

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 21/12/2015 09:00

Gustavo Werneck

Divulgação/Rio Quente Resorts
 

Rio Quente (GO) — Muita sombra para descansar do sol (se isso for possível!), água fresca toda hora e o leito de um rio fumegante dominando a paisagem. Se a descrição parece a do paraíso, é melhor acreditar que o sonho existe e seguir rumo a Rio Quente, no sul de Goiás. No meio do cerrado, a natureza se mostra pródiga em beleza, o povo esbanja receptividade e a calma vem naturalmente, bem de mansinho, para o corpo e para a alma. Emancipado desde 1988 de Caldas Novas, o município de Rio Quente tem como destaque o Rio Quente Resorts, complexo turístico com: sete hotéis; conjunto de piscinas termais, sempre na temperatura de 38ºC; e o Hotpark, com atrações para todas as idades, e praia artificial com ondas e tudo, onde é possível praticar surfe. Acredita? É ver para crer e cair n’água para aproveitar.

Relaxar é a palavra de ordem nesse ambiente privilegiado. Nada melhor do que ficar imerso nas piscinas de água quente, tomar uma cerveja tarde da noite sem se preocupar com o tempo, conversar com os amigos sentado no famoso Poço do imperador, que dizem ter propriedades afrodisíacas, ou caminhar pelas trilhas olhando o céu estrelado. E, claro, provar da culinária com peixes deliciosos, temperos e muita variedade de cores e sabores. Se achar pouco, vale a contemplação dos jardins projetados pelo paisagista Burle Marx (1909-1994).

Novidade

Divulgação/Rio Quente Resorts

O paraíso tropical acaba de ganhar mais um atrativo, dessa vez dedicado à criançada de 5 a 12 anos e totalmente aberto ao deleite dos papais. Sob chuva, que uma visitante chamou de “chuva de ouro” para dar boa sorte, foi inaugurado em 12 de novembro o Hotibum, parque aquático temático infantil, o único no país. Numa área de 5,4 mil metros quadrados, estão à disposição das famílias oito toboáguas, 221 brinquedos interativos e a piscina com uma fina lâmina de água para garantir segurança aos baixinhos. Surpresas são sempre bem-vindas. E basta esperar alguns minutos para admirar o balde de 12 metros de altura despejando água, num efeito sensacional.

Os donos do empreendimento, que investiram R$ 12,5 milhões na megaestrutura, avisam, na entrada, que curtir o Hotibum é “viver o dia mais feliz da sua vida”. A criançada agradece e não perde um minuto. Sobe a escada, se joga nos tobogãs, sorri de alegria, grita de satisfação e curte os brinquedos interativos (sprays, jatos, cortinas e rodas d’água). Logo ao chegar, as famílias são recepcionadas por um grupo muito especial, a Turma do Cerrado, formada por um indiozinho e oito animais: Zira, Kaipó, Blá, Bola, Juba, Lara, Marina, Piopardo e Valente. Arara, tatu-bola, tucano, onça, tartaruga e companheiros dançam, cantam e convidam os visitantes a curtir cada momento, além de valorizar a biodiversidade.

Divulgação/Rio Quente Resorts
 

 

A estrela é a natureza

 

“O charme daqui está na água quente do rio e na integração com a natureza”, diz o diretor executivo do Grupo Rio Quente, Ronaldo Custódio Cota Pacheco. Os turistas (cerca de 1,3 milhão por ano), vindos, na maioria, de São Paulo, Minas, Brasília e do estado de Goiás, têm à disposição uma programação de 24 horas nas piscinas naturais do Parque das Fontes. E mais: para quem gosta de mergulhar na diversão e tomar um banho de energia, aí vai um número tentador: em sete quilômetros do rio, correm cerca de 5 milhões de litros de água quente. Julho é o mês preferido pelos turistas, mas o clima de férias é permanente nesse canto do cerrado.


Divulgação/Rio Quente Resorts

Em Rio Quente, nada melhor do que esquecer a vida e se concentrar no café da manhã, nas caminhadas, nos jantares de temática variada, na casa de shows (onde toda noite tem novidade), nas pedaladas pela trilha de bike e nos movimentos da academia. Pensa que acabou? Têm ecopesque, tirolesa recém-inaugurada, viveiro de pássaros, mergulho numa profundidade de cinco metros, butique para as lembrancinhas e as piscinas abertas 24 horas para os hóspedes do resort.

Feliz da vida na ducha de água quente, o empresário Álvaro Silvestre, morador do Barreiro, em Belo Horizonte, foi ao Rio Quente pela primeira vez, seguindo o conselho da sogra, que já visitou o lugar cinco vezes. “Aqui é muito bom, a gente esquece tudo e volta revigorado”, afirma o empresário. No Poço do Imperador, o comerciante Wanderson Costa, de Muriaé, na Zona da Mata mineira, também elogiou o passeio e disse que o melhor é o lazer em completa segurança.

“Na hora de planejar as férias, se ficar em dúvida entre o passeio na serra ou no mar, a melhor opção é o Rio Quente, que junta os dois destinos”, diz, com bom humor, a diretora de Marketing e Vendas do Grupo Rio Quente, Ana Luíza Masagão. Quem não acredita que possa existir onda do mar em pleno cerrado é porque não viu a praia artificial. O clima é o mesmo do litoral, com gente bonita e bronzeada, cores e música. E quando o visitante achar que o sol já passou da medida, tem até água de coco e sombra de barraca. Só fica faltando mesmo o sal.

Divulgação/Rio Quente Resorts


*O repórter viajou a convite do Rio Quente Resorts
 

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.