SANTA CATARINA

As montanhas geladas e a beleza congelante da Serra Catarinense

Quem sobe até lá nesta época do ano pode até se deparar com a neve. Inclua no roteiro as cidades de São Joaquim, Bom Jardim da Serra e Urubici e se surpreenda com as belezas naturais, a boa gastronomia e os vinhos de primeira linha

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 27/07/2016 20:00

Iana Caramori/CB/D.A Press

No Brasil, o comum mesmo é sentir muito calor. Mas, nesta época de inverno, em algumas regiões do país, é possível tirar os casacos mais pesados do armário e ver até neve. Só é preciso arrumar as malas e embarcar para a Serra de Santa Catarina, um lugar com paisagens incríveis. Lá, você vai encontrar as temperaturas mais baixas do Brasil. Não à toa, é conhecida como a “Sibéria brasileira”.

 

Além do frio congelante, é comum para quem visita a Serra Catarinense nesta época do ano se sentir acima das nuvens. Além da neblina ser presença frequente na região, as altas altitudes permitem visualizar a região de cima do tempo nublado das cidades mais baixas. O cenário é de tirar o fôlego. A beleza das montanhas envoltas pelas nuvens é inegável.

 

Iana Caramori/CB/D.A Press

Em altitudes que podem chegar a 1.400 metros acima do nível do mar, as cidades localizadas na rota da serra têm atrativos para agradar a todos os gostos. Trilhas até os cânions, cascatas e cavernas, visita a vinícolas de vinhos de altitude e a restaurantes com pratos típicos da região no cardápio são apenas algumas das opções de passeio.

 

Opções de voos

Bom Jardim da Serra é um dos municípios que merecem uma visita. Para chegar ao lugar partindo de Florianópolis, a capital catarinense, é preciso percorrer 241km. Quem vai de avião também pode aterrissar em Lages e seguir mais 123km. A opção de voo, no entanto, é restrita a poucos dias da semana e pesa um pouco mais ao bolso.

 

Iana Caramori/CB/D.A Press

O turista começa a ter um gostinho das belezas de Bom Jardim da Serra antes mesmo de chegar à cidade. Quem vem de Florianópolis precisa subir a Serra do Rio do Rastro para ir até o destino final. Desde o começo, o caminho de pistas sinuosas é cercado de belas paisagens. Ao longo da serra, vários mirantes dão aos motoristas e passageiros a chance de esticar as pernas e apreciar o cenário. Prossiga a sua aventura por São Joaquim e Urubici e não se arrependa. Se tiver um pouco de sorte, vai ver até neve, como a que encantou os turistas em 16 e 17 de julho. A temperatura na região caiu a -5,4ºC.

 

Na trilha dos cânions

Quem gosta de andar um pouco em busca do visual perfeito precisa fazer as trilhas até os três cânions de Bom Jardim da Serra, que estão abertos à visitação. No Parque Nacional de São Joaquim, está o Cânion das Laranjeiras. Partindo da cidade, é preciso percorrer 12km de carro, passando por uma estrada de chão. Do ponto máximo onde o carro pode chegar até a beira do cânion, são aproximadamente 2,5km de caminhada — a mesma distância para o percurso de volta. O passeio tem, aproximadamente, quatro horas de duração.

 

O segundo cânion da região é o da Ronda. Com uma vista de 360 graus, o pico está a 1.470m de altitude. Lá de cima, é possível ver o Parque Eólico Bom Jardim da Serra e a faixa litorânea, em dias de céu aberto. O visitante consegue chegar ao local de duas maneiras: a pé — passeio feito pelas agências de turismo — ou pelas cavalgadas oferecidas no Rio do Rastro Eco Resort. O passeio de 6km dura cerca de duas horas. Aprecie o pôr do sol.

 

Marlon R. Silva/Divulgação - 5/11/11

Para chegar ao Cânion do Funil, é preciso percorrer 14km — ida e volta. A caminhada é feita em campo aberto. Apesar de todo o esforço, a vista vale a pena. Em um cenário rico de belezas naturais como o do Cânion do Funil, não é difícil encontrar animais, como os veados.

 

»Atenção
Subir a Serra do Rio do Rastro pode ser uma tarefa difícil. É preciso atenção e experiência para percorrer os 12km de pista estreita e as mais de 200 curvas. Para não passar aperto, o indicado é contratar um serviço de transfer do local de partida até Bom Jardim da Serra.

 

»Para saber mais
No balanço das curvas
A história da Serra do Rio do Rastro — ou Serra dos 12, por causa da quantidade de curvas que são mais fechadas — se confunde com a dos tropeiros. Aquela era a rota entre o centro de produção e consumidores desde o século 17. A pista só ganhou a pavimentação, feita com blocos de concreto, em 1984. E, antes de 2001, o local não tinha iluminação. A locomoção era ainda mais difícil, mas até hoje a comunicação de quem sobe e quem desce é essencial. É comum escutar o som das buzinas durante o percurso.

 

» Reserve o seu passeio
Tribo da Serra Ecoturismo

Informações: (49) 9116-1304 / 9101-2451

 

» Onde se hospedar
Rio do Rastro Eco Resort

Informações: (48) 9931-6100, (49) 9112-0073 /9112-0074

 

Pousada Bela Serra
Informações: (49) 9188-2016

Fazenda Santa Rita
Informações: (49) 9145-7533

» Culinária catarinense
Mensageiro da Montanha

Informações: (49) 9165-2855


Churrascaria Cascata
Informações: (49) 3232-0123 / 9131-7815

 

Restaurante e Churrascaria Carvalho
Informações: (49) 3232-0367 / 9125-5918

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.