CALENDÁRIO

Anote na agenda quando se divertir em festas tradicionais por todo o país

Comemorações tradicionais das cinco regiões do país são bons motivos para conhecer lugares sob novos ângulos

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 18/09/2016 09:00 / atualizado em 21/09/2016 10:20

Arquivo pessoal

Quem nunca ouviu dizer que, no Brasil, tudo é festa? A alegria dos nativos pode ser encontrada no sorriso, na hospitalidade e em um verdadeiro calendário de festas. Tem de tudo: religiosas, profanas — temos o Carnaval mais cobiçado do planeta —, gastronômicas e culturais. A partir deste mês, não vai faltar motivo para explorar cidades do país que, em períodos específicos do ano, ganham uma programação toda especial.

 

Quem decidir visitar a região Sul até o dia 20 de setembro, por exemplo, poderá conhecer a fundo a cultura gaúcha. A Semana Farroupilha é uma festa que mobiliza todo o estado do Rio Grande do Sul. Cada município faz sua homenagem à moda local, mas na capital, Porto Alegre, a atração principal é um acampamento que fica montado ao longo de 30 dias no Parque Maurício Sirotski Sobrinho. Os visitantes aprendem a preparar pratos da culinária regional e bebidas como o chimarrão, podem ver como é feita a forja e a afiação de facas, assistir a apresentações de danças folclóricas, participar de atividades campeiras e jogos. Além das oficinas, o espaço recebe palestras, espetáculos e lançamentos de livros relacionados à cultura do estado.

 

Não muito longe dali, em Santa Catarina, a cidade de Blumenau é palco da versão brasileira da tradicional Oktoberfest, festa originária de Munique, na Alemanha. No Brasil, o festival celebra as tradições alemãs no período de 5 a 23 de outubro. A cerveja é tomada em copos de um metro de altura, mas não é a única a brilhar durante o evento. Oktoberfest também é música, dança e gastronomia típica. Até quem já foi ao evento na Alemanha quer curtir aqui, no território nacional. O estudante de Engenharia de Produção, Mateus Melchior, 22 anos, experimentou do chope alemão em Munique nos anos de 2014 e 2015 e planeja ir a Blumenau no início de outubro. “Quero dar sequência às idas à festa todos os anos”. Em Munique, o tom da festa é de bom humor. “Os alemães ficam extremamente receptivos e quem é de fora acaba se sentindo bem à vontade”, lembra Melchior.

 

» Quem toma mais

O Concurso Nacional de Tomadores de Chope em Metro agita a Vila Germânica, em Blumenau. Todas as noites, três vencedores de duas categorias — masculino e feminino — ostentam o título de quem tomou um metro de chope (600 ml) em menos tempo, sem babar e tirar o copo da boca. Para ninguém passar mal, o chope é sem álcool.

 

Outra cidade catarinense que está em clima de festa no décimo mês do ano é Itajaí. Veja o que o lugar tem de atrativos durante esse mês e siga o calendário preparado pelo Turismo. Programe-se para viajar pelo menos uma vez por mês:

 

» Outubro

Marejada

Dado Itajahy/Flickr

O protagonista da festa sediada em Itajaí, Santa Catarina, é o mar. Os produtos que vêm direto da imensidão azul são venerados durante quatro dias, na primeira semana do mês. O pescado é o destaque gastronômico, mas também há música, apresentações de teatro e exibições de filmes a céu aberto. A festa tem raiz portuguesa. Marejada é o nome que os pescadores portugueses deram ao sobe e desce das marés. Os esportes náuticos são outra faceta do evento. No ano passado, embarcações da regata transatlântica Jacques Vabre chegaram à cidade, vindas da França. A prova é uma das mais difíceis da modalidade.

 

» Novembro

Festa do Padre Cícero

Levi Bianco/Flickr - 1/11/13

O mês mal começa e já tem romaria no calendário — a maior da região Nordeste. É em Juazeiro do Norte, no Ceará, com a homenagem a Padim Ciço, nome popular de Cícero Romão Batista, sacerdote católico influente no Ceará e redondezas. Durante o primeiro e segundo dias de novembro, os festejos incluem missas e peregrinação à estátua do sacerdote, localizada na Colina do Horto.

 

» Dezembro

Natal em Natal

Márlio Forte/Flickr

A capital do Rio Grande do Norte foi inaugurada no mesmo dia em que o aniversário de Jesus Cristo é comemorado — 25 de dezembro. A festa, portanto, é dupla. O evento Natal em Natal reúne, todos os anos, potiguares e turistas em uma verdadeira maratona musical. Desde o dia 24, apresentações de artistas renomados divertem o público. A abertura costuma ser no estádio Arena das Dunas, cartão-postal da cidade.

 

» Janeiro

Lavagem do Bonfim

Adenilson Nunes/AGECOM

Na Bahia, a festa só perde em magnitude para o Carnaval . Ocorre na segunda quinta-feira de janeiro desde o século 18. As comemorações começam pela manhã, em frente à Igreja da Conceição da Praia, em Salvador. Dali, os participantes caminham até a Igreja de Nosso Senhor do Bonfim. Baianas com trajes típicos comandam o cortejo, segurando vasos com água de cheiro.

 

» Fevereiro

Carnaval de Diamantina

Junior Manoel/Flickr

Na cidade histórica mineira a 300 quilômetros de Belo Horizonte, as festas são organizadas por repúblicas estudantis e tem um quê de simples, mas são muito animadas. Os foliões se concentram na área do Mercado Municipal e tomam as ruas estreitas da cidade. Cada canto, um ritmo: na Rua da Quitanda, samba; no prédio da Secretaria de Cultura, marchinhas de carnaval; no Beco do Mota, MPB; na Rua do Ouro, música eletrônica.

 

» Março

Festival Brasileiro da Cerveja

Angelo Virgilio/Flickr

Blumenau é um ímã para eventos em que a cevada é o centro das atenções. Além da Oktoberfest, a cidade recebe o festival da cerveja na segunda semana de março. O público é variado: cervejeiros, especialistas e consumidores. Todos podem degustar mais de 600 rótulos e aproveitar uma programação artística e cultural e palestras. Todos os anos, o evento promove o Concurso Brasileiro de Cervejas, que elege o melhor dos sabores da bebida.

 

» Abril

Festa da Penha

Universo UFES/Reprodução

Não só de romaria se faz uma festa religiosa. Missas e shows também integram o pacote. Em Vila Velha, no Espírito Santo, é tradição homenagear Nossa Senhora da Penha, padroeira do estado, oito dias depois do domingo de Páscoa. O ponto de encontro dos fiéis é o convento da Penha, cartão-postal de Vila Velha. Há celebração no Campinho e procissões que partem da capital, Vitória. A “festa profana” tem apresentações artísticas e venda de comidas.

 

» Maio

Festival da Quitanda

Indicador Congonhas/Reprodução

O nome sugere o que vem por aí: comida boa. Afinal, quitanda é um mercadinho onde se vende de tudo, inclusive guloseimas. Em Minas Gerais, a cidade de Congonhas sedia o evento que, além de tradicional, resgata receitas tradicionais do estado, que tem a cultura do campo e da boa mesa em seu DNA. A primeira noite é chamada de Noite de Caldos e Violas. Reúne na Romaria — centro cultural próximo das obras de Aleijadinho — artistas regionais e variedade de sopas. Dezenas de expositores vão ao local, vindos de diversas cidades mineiras. Os visitantes podem levar para casa o Caderno de Receitas do Festival da Quitanda.

 

» Junho

Festival de Parintins

Yasuyoshi Chiba/AFP - 1/7/12

O evento começa bem depois do Carnaval, mas é como se fosse um, com tempero típico amazônico. A 420 quilômetros de Manaus, em Parintins, três noites de festa reúnem fãs e simpatizantes de duas agremiações clássicas: o Boi Garantido, representado pela cor vermelha, e o Boi Caprichoso, de cor azul. Boi porque a festa representa, entre outras manifestações culturais, o boi-bumbá. Reserve o último fim de semana de junho para ir à cidade e disputar espaço com gente do Brasil e do mundo ao som da toada, ritmo das canções regionais caboclas.

 

» Julho

Festival de Inverno de Bonito

Elis Regina Nogueira/FIB

A cidade conhecida por seus picos naturais —  cavernas, cachoeiras e lagoas, para começar a lista —  se transforma durante a estação mais fria do ano. A arte toma conta do lugar e faz a alegria de sul-mato-grossenses e turistas. Há apresentações de música, exposições de artes plásticas, oficinas, espaços para debates e exibições de filmes. O repertório é interessante para todas as idades. Quem vai da capital, Campo Grande, percorre 300 quilômetros até lá.

 

» Agosto

Festa das Neves

Rafael Passos/Divulgação

A festa rola em João Pessoa, na Paraíba, cidade cuja padroeira é Nossa Senhora das Neves, um dos nomes de Maria na religião católica. Conta-se que um casal romano pediu uma orientação para investir sua fortuna e teria recebido, como resposta, um sonho no qual a santa pedia um templo no monte Esquilino, em Roma, todo coberto por neve. De fria, João Pessoa não tem nada. O calor do lugar se reflete na celebração, que dura 10 dias e inclui missas, procissão e novenas. Shows musicais, comidas e bebidas típicas são mais um motivo para visitar Jampa.

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.