PRECIOSIDADES

Algumas das menores cidades do mundo convidam para um passeio sem pressa

No lugar de grandes atrações, os detalhes contribuem para grandes descobertas e infinitas lembranças

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 24/02/2017 09:00 / atualizado em 22/02/2017 13:49

Susan Harbach/Flickr - 9/9/16

Para conhecer a menor cidade do mundo você só vai precisar de uma hora. Hum, na Croácia, é o pedaço de chão mais ínfimo da Terra, segundo o Livro Guinness dos Recordes. Apesar de pequenina, a cidade tem até muralhas. Dentro delas, as ruas são estreitas e formam um verdadeiro labirinto. Com trufas nas redondezas e arquitetura medieval por toda parte, o diminuto paraíso tem menos de 30 habitantes. Vai ser difícil esbarrar em um morador, mas os turistas terão presença certa.

 

No Brasil, a menor cidade tinha 818 moradores até 2015. Serra da Saudade, em Minas Gerais, tem a atmosfera interiorana típica: cinco ruas, uma igreja, uma praça, uma padaria — tudo cercado por montanhas. Caso queira visitar, anote aí: a rodovia mais próxima é a BR-262. Tenha em mente que a viagem será mais motivada pelo valor histórico e até aventureiro do que por atrações colossais.

 

Mesmo sem grandes pontos turísticos a explorar, a ida a uma cidade pequena permite prestar atenção nos detalhes — a pintura das casas, a beleza dos arredores, gastronomia, histórias de vida — tudo é um convite à lenta apreciação. Confira os pequenos destinos selecionados pelo Turismo.

 

Reine, Noruega

Brian/Flickr

A vila de pescadores com menos de 350 moradores é um tesouro escondido no arquipélago de Lofoten, a 100 km do Círculo Ártico. O clima de isolamento e a beleza natural do vilarejo atraem visitantes para andar de bicicleta, esquiar no inverno e remar em caiaques quando a temperatura está amena. Uma opção de hospedagem interessante são as antigas cabanas de pescadores, que foram reformadas para acomodar viajantes. Para viver ainda mais como um local, visite o único mercado, no centro da cidade, e compre o necessário para cozinhar suas próprias refeições.

 

Burano, Itália

Diana Robinson/Flickr

Para renovar a alma e os olhos, vá ver as cores dessa ilha italiana com cerca de 3 mil habitantes. As casinhas coloridas são marca registrada do lugar. A tradição de pintá-las começou com os pescadores, que queiram vê-las mesmo em alto-mar. As rendeiras também são ilustres na cidade: a renda de Burano já foi a mais procurada da Europa, porque é delicada. A cidade é vizinha de Veneza — 30 minutos de barco separam uma da outra — e forma um famoso trio com as ilhas Murano e Tocello. Experimente os peixes da região, que têm a fama de fresquíssimos.

 

Gásadalur, Dinamarca

Saemund Tausn/Flickr

O vilarejo está em uma das 18 ilhas que formam o arquipélago das Ilhas Faroé, entre a Escócia e a Islândia. O número de moradores também não ultrapassa os dois dígitos: são menos de 20. Precipícios, quedas d’água e campos abertos fazem parte do visual típico da região de clima frio — e bastante imprevisível. Os moradores colocam grama nos telhados para manter o interior das casas mais aquecido, o que dá às residências um visual interessante. Chegar até Gásadalur é difícil, mas não impossível. Para facilitar o acesso, foi construído um túnel,  em 2004, para conectar o local a uma rodovia em Vagar, outra ilha do arquipélago.

 

Pucón, Chile

Mynudi/Reprodução

Quem decide ir à cidadezinha ganha de brinde uma série de passeios nos arredores. Isso porque o local está bem próximo do Vulcão Villarica, o local mais visitado da área. O estilo de passeio é voltado aos aventureiros, mas quem quer apenas relaxar pode se instalar em uma das casas próximas de estações termais. Pucón tem uma estação de esqui e boas opções de hotéis, restaurantes e bares — frequentados pelo público jovem.

 

Hidden Mountain Village, China

Christian Ortiz/Flickr - 21/5/11

No vilarejo autossustentável entre as montanhas de Tianzhu, os moradores da etnia Dong — uma das minorias raciais do país — praticam kung fu diariamente e organizam competições entre os agricultores, que cultivam principalmente arroz em terraços. A vila faz parte de uma reserva natural e tem atrações de ecoturismo impressionantes: cachoeiras com múltiplas quedas d’água, lagos coloridos e picos nevados. A altitude pode ir de 2 mil a 4,5 mil metros na região.

Ericeira, Portugal

A Photo A Day/Reprodução

A cidade foi estabelecida nesse local por causa do surgimento de uma grande quantidade de ouriços-do-mar, por volta de 1.200. Estima-se que os primeiros a habitá-la tenham sido os fenícios. Hoje, o vilarejo tem cerca de 7 mil moradores. Além do ambiente de praia e do clima acolhedor, conheça os deliciosos mariscos dos restaurantes locais. Os surfistas são maioria entre o público, atraído pelas 40 praias próximas. Para curtir a cidade, a dica é passear pelas ruas, ir às diversas igrejas antigas e apreciar o sol se pôr na direção do oceano.

Goreme, Turquia

Brocken Inaglory/Wikimedia Commons

A cidade de 8 mil habitantes é considerada a melhor para conhecer a região da Capadócia. Casas, hotéis, restaurantes — tudo está dentro de formações rochosas impressionantes. A sensação é de entrar em uma caverna. As pedras têm formato de cogumelo e são conhecidas no local como “chaminés das fadas”. A cidadezinha é bem servida de agências de turismo. Portanto, acerte seu passeio de balão em uma delas o quanto antes possível.

 

Morro de São Paulo, Bahia

Gildo Lima/Agência A Tarde/Agência O Globo - 25/11/06

Mais uma ilha, esta em território brasileiro, para explorar com minúcia. Afinal, além de paradisíaca, figura entre as mais cobiçadas da região da Costa do Dendê. Ao lado de Boipeba, Cairú e mais dezenas de ilhas, Morro de São Paulo forma o arquipélago de Tinharé e tem quatro mil habitantes. Caso queira se desintoxicar por alguns dias do agito urbano, esse é o lugar certo. São apenas quatro bairros e duas ruas principais, frequentadas por mochileiros, casais e famílias. O transporte até lá depende de barcos, mas, na maior parte do território, é melhor caminhar. Automóveis são proibidos, mas alguns tratores circulam a fim de carregar malas e turistas.

 

“Felicidade é uma cidade pequenina

É uma casinha, é uma colina

Qualquer lugar que se ilumina

Quando a gente quer amar”

(Simone, em Pão e Poesia)

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.