NOTÁVEIS

Visite as cidades natais dos Heróis da Pátria nos quatro estados do sudeste

Gravados nas folhas de um livro de aço exposto no Panteão da Liberdade, brilham os nomes de 31 brasileiros cujas ações mudaram o país. O roteiro começa no Brasil, passa por quatro regiões e cruza o oceano até a Europa

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 17/05/2017 20:00 / atualizado em 18/05/2017 17:49

Gladyston Rodrigues/EM/D.A Press

Herói/heroína sm. sf.  1 Pessoa de grande coragem ou autora de grandes feitos. 2 Personagem nascida de um ser divino e de outro mortal. 3 Personagem principal. 4 Pessoa ou personagem de ficção que tem atributos físicos ou morais muito positivos. 5 Pessoa que provoca admiração. (Dicionário Caldas Aulete da língua portuguesa)


Você já sonhou que estava sonhando? A experiência de ter um sonho lúcido, no qual a pessoa sabe que está dentro de uma fantasia, permite uma série de novidades: visitar lugares desconhecidos, conversar com outras pessoas, voar, e até mesmo se transformar em um animal. Em Brasília, é possível ter não só um, como vários sonhos dentro de um sonho. Ou melhor: várias viagens dentro de uma. O ponto de partida é um livro prateado, exposto na Praça dos Três Poderes, dentro de um memorial cívico fúnebre: o Panteão da Pátria e da Liberdade Tancredo Neves.

O espaço é dedicado a pessoas que contribuíram para o engrandecimento do país, de alguma maneira. O nome dessas estrelas estão em um livro de metal, no segundo pavimento do Panteão. Cada homenagem leva a uma história e a uma cidade diferente. Há gente nascida em várias partes do Brasil. E, não raro, as cidades receberam o nome do notável. As mais famosas têm programação exclusiva sobre o assunto — museus, memoriais ou a casa onde a pessoa viveu.

Monique Renne/Esp.CB/D.A Press

MINAS GERAIS

» Tiradentes
O primeiro nome inscrito no livro de heróis nos leva a uma cidade histórica de Minas Gerais: Tiradentes. Líder da Inconfidência Mineira, Joaquim José da Silva Xavier nasceu na Vila de São João Del Rei, atual município de Ritápolis. Tiradentes, que fica a no máximo a meia hora dali, no entanto, é a cidade que leva fama e nome de cidade natal do herói.

Para conhecer a trajetória do mártir pelos primórdios, a Fazenda do Pombal, onde ele nasceu em 1746, é o ponto de partida. Da casa, restaram apenas ruínas e algumas colunas de pedra, mas a fazenda abriga um pequeno memorial dedicado ao herói, com placas que relembram sua trajetória. A fazenda está fechada, atualmente, por falta de recursos. A 200km dali, em Ouro Preto, o museu da Inconfidência é dedicado a contar a história do movimento e tem restos mortais dos participantes.

 

Fotos Públicas/Divulgação

» Santos Dumont

A viagem por Minas Gerais continua nas asas do 14 bis. Alberto Santos Dumont nasceu em Palmira, atual cidade de Santos Dumont, o pai da aviação. Ele fez história de outro jeito: construiu e voou nos primeiros balões dirigíveis com motor à gasolina, fato reconhecido pelo Prêmio Deutsch, em 1901. O brasileiro também foi quem decolou pela primeira vez a bordo de um avião com motor à gasolina, em 1906. O14 bis voou por mais ou menos 60 metros, a três metros de altura, em Paris.

O segundo voo foi mais longe (200 metros) e mais alto (6 metros). Ambos foram homologados pelo Aeroclube da França. O Museu Casa Natal de Santos Dumont fica na fazenda onde o inventor nasceu, em Santos Dumont. Os visitantes podem ver, dentro da casa, a mobília original e objetos pessoais, além de fotografias e réplicas de invenções.

 

» Estrelas do sudeste

Rio de Janeiro e São Paulo colecionam cidades natais de oito heróis da pátria. O Espírito Santo também tem seus destaques. Conheça museus, bustos e monumentos dedicados a eles:

 

Um militar, um diplomata e um músico compõem o trio de cariocas com os nomes escritos no Livro dos Heróis da Pátria. Luís Alves de Lima e Silva, Duque de Caxias, lutou contra Portugal pela independência do Brasil, foi mestre de armas e amigo de Pedro II, comandou o exército contra a Revolução Farroupilha, Balaiada e até na Guerra do Prata. É considerado o maior oficial militar brasileiro da história. O berço do herói é a Fazenda São Paulo (foto), hoje Museu Histórico do Duque de Caxias e da Taquara, cujo acervo tem armamento usado por Caxias e objetos da família, além de uma exposição sobre a vida do militar.


RIO DE JANEIRO

Wikimedia Commons/Divulgação

» Rio de Janeiro

José Bonifácio de Andrada e Silva, conhecido como o Patriarca da Independência, tem um currículo recheado de participações decisivas na história do país. Foi ministro do Reino, organizou o exército durante o processo de Independência do Brasil, foi tutor de Pedro II e descobriu o elemento químico lítio. O filósofo, advogado, professor, intelectual, cientista e político tem ruas, medalhas e museus com seu nome. No Largo de São Francisco, no centro do Rio de Janeiro,  há um monumento em sua homenagem.

 

Wikipédia/Reprodução

» Rio de Janeiro
José Maria da Silva Paranhos Júnior, o Barão do Rio Branco, participou das negociações que determinaram as fronteiras do país. Por isso, ficou conhecido como o patrono da diplomacia. Várias cidades no país têm ruas  em sua homenagem. Uma das principais avenidas da capital carioca é a Rio Branco. O barão dá nome ao Instituto Rio Branco, entidade que forma diplomatas de carreira, em Brasília.

 

Instituto Brasileiro de Museus/Reprodução

» Rio de Janeiro
Heitor Villa-Lobos desenvolveu uma linguagem musical tipicamente brasileira e é considerado o maior músico do modernismo no Brasil — compôs obras com referências regionais. Há um museu dedicado a ele no bairro de Botafogo, atualmente fechado para visitação do público. O acervo contém objetos que fizeram parte da vida e da obra de Villa-Lobos, como documentos acadêmicos, correspondências, partituras, fotografias, cartazes de concertos e arquivos de áudio e vídeo.

São Paulo

Mapio.net/Reprodução
 

» Campinas 
A Revolução Constitucionalista de 1932 foi um movimento contra o quadro político instaurado no Brasil após a Revolução de 1930 — que acabou com a República Velha. O governo provisório de Getúlio Vargas demorava para convocar a Assembleia Constituinte e a população seguia insatisfeita. Durante um ato político o centro da cidade, quatro estudantes morreram em confronto com a polícia — Martins, Miragaia, Dráusio e Camargo. Há um monumento em homenagem aos jovens em Campinas, no Cemitério da Saudade.

ESPÍRITO SANTO

» Marataízes

André Sobral/Divulgação
 

Domingos José Martins nasceu no Sítio Caxangá, hoje município de Marataízes, no Espírito Santo. Apesar de capixaba, foi líder da Revolução Pernambucana de 1817, um dos principais movimentos pela independência do Brasil. Depois de derrotado, foi preso e enviado para a Bahia. Morreu fuzilado no Campo dos Mártires. O herói virou nome de município no Espírito Santo e ele também é patrono da polícia Civil do estado. Há um monumento dedicado a ele em Vitória, em frente à sede do governo.

 

Visite

Museu da Inconfidência
» Aberto de terça a domingo, das 12h às 18h
» Ingressos a R$ 10
» Informações: (31) 3551-1121

Museu Casa Natal de Santos Dumont

» Aberto todos os dias, de 8h30 às 17h
» Entrada gratuita, exceto aos fins de semana (R$2)
» Informações: (32) 3251-3646/ 99976-1464

 

Cemitério da Saudade
» Aberto das 7h às 18h
» Entrada gratuita
» Informações: (19) 3734-6178

Museu Histórico do Duque de Caxias e da Taquara

» Aberto de segunda a sexta, das 9h às 17h
» Entrada gratuita

» Informações: (21) 2787-6178/ 98439-0852 

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.