ADULTOS

Viaje sem as crianças e aproveite o clima romântico de hotéis para casais

Passear sem os filhos exige paciência e planejamento, mas a experiência pode render benefícios a toda a família. Conheça lugares cujo roteiro é pra lá de apaixonante

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 24/08/2017 10:00 / atualizado em 23/08/2017 18:32

Gungaporanga/Reprodução

Uma viagem a dois pode gerar benefícios a toda a família. A psicóloga especialista em terapia familiar sistêmica Lia Clerot aponta que, quando o casal tem filhos, a vida conjugal pode ser deixada de lado. “Seja pela falta de tempo, seja pelo cansaço físico e mental. Fazer uma viagem a dois pode ajudar a reacender a paixão e lembrá-los de que não são apenas pais, mas pessoas que também precisam de atenção e afeto”, explica.



A bancária Aline Azevedo da Silveira Lima, 30 anos, tem um filho de dois anos de idade, mas não viajou a sós com o marido após o nascimento do bebê. “Confesso que fico apreensiva se o Caio vai dormir direito, se vai acordar à noite chorando. O sentimento de preocupação talvez tenha nos impedido de realizar essa vontade”, analisa. Para Aline, a hora de fazer a viagem a dois está chegando. “Cada criança é uma. Para cada família há uma dinâmica. Quando nos tornamos pais, abrir mão de algumas coisas se torna normal. Acabamos priorizando a família sem dor no coração”, esclarece.

 

Arquivo Pessoal

A bancária e o marido têm costume de viajar com o pequeno. Na primeira experiência, o bebê tinha seis meses. “Não foi tão simples, pois já tinha começado a introdução alimentar. Então tive que me preocupar com comida segura para ele”. Em outra experiência, a família foi a Guarajuba (BA), quando o bebê estava com um ano e dois meses. “Ele também já estava comendo uma maior variedade de alimentos, então foi mais tranquilo. Foram dias maravilhosos”, lembra.

Diálogo 
É comum que os pais demorem para programar viagens sem os filhos. “Há um sentimento de que estão negligenciando ou abandonando a criança. Viajar sem eles precisa ser uma questão muito bem trabalhada e resolvida para que a viagem não se torne um martírio”, aconselha a psicóloga Lia Clerot. Dialogar com os filhos torna a experiência mais suave.

 

Prezz Comunicação/Divulgação

“Explicar sobre a viagem, o período, com quem vão ficar e ouvir os anseios e receios das crianças, ressaltar que existem oportunidades em que toda a família sai reunida, mas, que nesta viagem, especificamente, só irá o casal” são as dicas da psicóloga. Agir assim deixa as crianças seguras de que não estão sendo excluídas, mas que existem situações em que não estarão na companhia dos pais.

 

Não existe faixa etária mais propícia para deixar os filhos. “Quanto mais dependente, mais difícil será”, sugere a psicóloga. Bebê em fase de amamentação, por exemplo, pode ser prejudicado com a ausência da mãe. A recomendação profissional é ir com calma. “Verificar como a criança se comporta na ausência dos pais. A maturidade para lidar com a situação é mais importante do que a idade”. O importante é deixar claro que o pai e a mãe viajaram, mas voltarão. “O que não se deve fazer é alterar o período. Tem que conversar com a criança e cumprir com o combinado”, alerta a psicóloga. (RP)

Especialistas em romance

Passar férias sem a companhia dos filhos é uma escolha de vários casais. No Brasil, existem hotéis especializados em receber os pombinhos. Eles facilitam a romance em cada detalhe — na decoração, na comida e no atendimento. Antes de fazer a reserva, os viajantes são informados da restrição etária e ficam sabendo que a estrutura é inadequada para os pequenos. Alguns têm vidraças em vez de paredes, outros utilizam velas na decoração da piscina ou estão localizados em penhascos. Veja os selecionados pelo Turismo:

 

DPNY Beach Hotel & Spa/Reprodução

DPNY Beach Hotel & Spa (SP)

» www.dpny.com.br
De frente para a Praia do Curral, o hotel não aceita reservas de grupos nem eventos. Crianças, só acima de 10 anos. O perfil dos hóspedes é de casais que desejam comemorar datas especiais. Há idade mínima para se hospedar, mas os quartos contam apenas com camas de casal. Além de instalações luxuosas, é possível desfrutar de um spa, restaurante de alta gastronomia, parque particular e ter acesso à praia. O hotel tem pacotes especiais para o mês de setembro — a partir de R$ 1.290. Também é possível adquirir um day card e desfrutar da estrutura completa (exceto quartos) por um dia.

Romulo Fialdini/Reprodução

Ponta dos Ganchos Exclusive Resort (SC)
» www.pontadosganchos.com.br
O paraíso é aberto apenas a maiores de 18 anos. Em datas especiais, como Dia dos pais, há exceção e os pequenos com mais de 12 anos podem se hospedar. Localizado em Governador Celso Ramos, a 43 km de Florianópolis, o resort é declaradamente voltado a casais. Isso fica claro na programação oferecida — fogueira com voz e violão, jantar na praia, jantar na ilha, curso de culinária, degustação de vinhos e outros. Tudo isso em meio a três ilhas e uma baía de areia branca e águas claras do mar da Costa Esmeralda. A exclusividade é tanta que os hóspedes podem chegar tanto de carro como de helicóptero.

Zank by Toque

Zank by Toque Hotel (BA)
» www.zankhotel.com.br
Localizado em Salvador, no Bairro Rio Vermelho, o hotel integra o grupo Roteiros de Charme. Com vista para a Praia da Paciência. Os 16 quartos ficam em um casarão centenário e mesclam decoração antiga, adquirida em antiquários, com peças mais contemporâneas de renomados designers brasileiros. Os hóspedes, maiores de 12 anos, têm acesso a um spa com menu de massagens, academia e piscina — tudo proporcional e adequado à estrutura do casarão colonial. O hotel é aberto à celebração de casamentos e outros tipos de evento e recebe casais em lua de mel com serviço personalizado.

Gungaporanga/Reprodução

Gungaporanga (AL)
» www.gungaporanga.com.br
Dono de uma piscina com borda infinita para a Lagoa do Roteiro — que tem borda infinita para o mar —, o hotel fica na Barra de São Miguel, no topo de uma falésia. Dos 18 bangalôs, alguns (os mais luxuosos) têm piscina própria. Quem se hospeda tem acesso a uma trilha exclusiva, que cruza uma reserva de Mata Atlântica e uma praia. O restaurante, conhecido pelo mix de culinária alagoana com internacional, é aberto ao público e exige reservas — um bom jeito de conhecer o lugar sem se hospedar por lá. Tanto no estabelecimento quanto nos quartos, menores de 14 anos não são aceitos.

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.