ARQUITETURA

A fé em vários estilos: templos europeus que são espetáculos arquitetônicos

Construções grandiosas guardam a história dos países e revelam a importância da religião para o desenvolvimento das cidades e na formação das populações

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 05/11/2017 10:00 / atualizado em 03/11/2017 16:44

As catedrais de diversos países revelam a trajetória da Igreja ao longo dos séculos. Na Europa, por exemplo, o cristianismo se firmou ao longo da Idade Média. Das construções seculares às mais recentes, o que se vê nos altares, torres e campanários é a expressão da fé emestilos arquitetônicos que surpreendem, encantam e perpetuam a crença. As catedrais abrigam, em suas sepulturas, grandes nomes que formaram a cultura dos povos e, também por esse motivo, se transformaram em espécies de museus que recebem as visitas de milhares de turistas.


» Europa

Tom Stainer Photografy/Flickr

Catedral de Colônia —  Alemanha


Eleita o ponto turístico mais visitado da Alemanha, a catedral gótica vem conquistando os corações dos turistas há muito tempo. Sua construção começou em 1248 e somente 600 anos mais tarde foi finalizada. Dedicada a São Pedro e a Nossa Senhora, a obra foi, no ano de sua conclusão, em 1880, o edifício mais alto do mundo, com 157 metros de altura. Durante a Segunda Guerra Mundial, a catedral foi atingida por diversas bombas aéreas, mas felizmente resistiu em pé. Porém, precisou ser reformada devido aos danos causados em sua estrutura e só foi reconstruída em 1956. De acordo com a tradição e a história do templo, acredita-se que os restos mortais dos Três Reis Magos — Baltazar, Melchior e Gaspar — estão enterrados no interior da catedral.

Pinterest/Reprodução

Catedral de Sevilha — Espanha

Declarada Patrimônio da Humanidade pela Unesco, a catedral de Sevilha, também conhecida como Catedral de Santa Maria da Sede ou La Giralda, é a maior da Espanha e a terceira maior do mundo. Suas dimensões só perdem para a Basílica de São Pedro, no Vaticano, e para a Basílica de  Nossa Senhora Aparecida, no Brasil. Não há registros documentais de quando sua construção começou, mas estima-se que tenha sido em 1401 e que, somente em 1593, sua obra foi finalizada. Personagens importantes da história estão enterrados na catedral, como o navegador Cristóvão Colombo, responsável por liderar a frota que veio para as Américas. O túmulo do navegante é o que mais chama a atenção dos turistas que visitam Sevilha. Além dele, o rei Fernando III de Castela, canonizado em 1671 como São Fernando, também está sepultado na catedral.

Panoramio/Reprodução

Catedral de Notre Dame — Paris, França

Uma das mais famosas do mundo, a catedral francesa ganhou fama e prestígio por sua beleza e pela obra literária de Victor Hugo O corcunda de Notre Dame. Além de ter sido palco de momentos gloriosos da sociedade europeia, nela foi realizada a coroação de Napoleão Bonaparte como imperador da França e a beatificação de Joana D’Arc. sua obra foi iniciada em 1163 e só finalizada 182 anos mais tarde, em 1345. A arquitetura se dividiu entre os estilos romântico e gótico. Mas, como todo monumento muito antigo, a catedral sofreu fisicamente com a história da França. Durante a Revolução Francesa, em 1793, a riqueza no interior da igreja foi roubada, como joias e esculturas, além de muitas obras terem sido quebradas por vândalos da época. Mais uma vez, em 1871, revoluções internas atearam fogo na catedral que desde então vem sofrendo constantes reformas.

Lorenzoclick/Flickr

Catedral de Milão — Itália

É impossível pensar em conhecer Milão e não ir à maior construção gótica de todos os tempos. Considerada uma das mais importantes e deslumbrantes edificações da Europa, a catedral impressiona por sua grandiosidade e beleza. Demorou aproximadamente 400 anos para que as obras fossem feitas, começaram em 1386 e somente em 1813 foram finalizadas. Nos últimos anos antes de ser entregue, foi preciso acelerar as obras, porque Napoleão Bonaparte queria ser coroado como rei da Itália nela. Então, sua fachada foi feita às pressas para que o pedido do rei fosse atendido. Ela é toda feita no mármore e possui milhares de estátuas em sua estrutura, só na parte externa, são mais de duas mil. O momento favorito dos turistas é ver a catedral de cima, pois só assim se tem noção da magnitude do local. Subir nos telhados do templo é obrigatório, da mesma maneira que ir a Paris e visitar a Torre Eiffel.

HDwalle/Reprodução

Catedral de São Paulo —  Inglaterra


Localizada em Londres, a catedral que homenageia o apóstolo Paulo é um dos lugares mais famosos da cidade e do país. Houve dois momentos marcantes em sua história. O primeiro foi sua construção inicial em 604 d.C. Nessa época ela foi feita toda de madeira e infelizmente pegou fogo, em 1087, o que a destruiu completamente. Após várias tentativas de reformas, nos anos seguintes à tragédia, ela foi abandonada e deixada de lado. Anos mais tarde é o segundo momento em que ela foi reformada definitivamente em 1633 pelo inglês Inigo Jones. O casamento real entre o Príncipe Charles e a Princesa Diana na catedral, em 1981, fez com que todos a conhecesse mundialmente. Além disso, outras grandes celebrações contribuíram para a fama do templo inglês, como por exemplo, o jubileu da Rainha Victória, os anúncios de paz após o fim da Primeira e Segunda Guerras Mundiais, o Jubileu de Diamante da Rainha Elizabeth II e outros tantos funerais de heróis britânicos.

traveltop.net/Reprodução

Catedral de São Basílio — Rússia

Ela é diferente de todas as igrejas que temos no mundo. Não é monocromática ou pouco iluminada, pelo contrário, é colorida e cheia de vida. Chega a parecer um castelo de conto de fadas e encanta todos os turistas que visitam Moscou. Sem dúvidas, é o cartão-postal mais famoso da Rússia no exterior. Construída sob as ordens de Ivan, o Terrível, sua construção foi relativamente rápida se comparada às das demais catedrais, durou 6 anos, entre os anos 1555-1561. Considerada Patrimônio Mundial da Unesco, a catedral é um marco no país. Desde 1929 ela foi completamente secularizada e a partir daí não funciona mais como um templo religioso, mas sim como Museu Histórico do Estado.

Laplataforma.org/Reprodução

Catedral de Córdoba —  Espanha

Diferente das demais igrejas tradicionais católicas, a catedral de Córdoba foi utilizada pelo islamismo e durante muitos anos foi uma mesquita. Com isso, o templo é considerado o principal monumento islâmico no ocidente e foi nomeado Patrimônio da Humanidade. No seu interior é possível notar os diferentes estilos arquitetônicos que cada religião representa. Um imenso bosque com colunas de mármore, ouro e cores vivas marca os anos em que o templo pertencia aos árabes entre os anos de 786 d.C a 1238. Depois da retomada cristã, foi preciso que uma catedral católica fosse construída, dentro da mesquita. Então, anos mais tarde, em 1523, as obras se iniciaram e respeitaram o tradicional estilo gótico, renascentista e barroco. A Mesquita-Catedral de Córdoba é um exemplo de fusão religiosa e atrai milhares de turistas durante todo o ano.

Faytur/Reprodução

Catedral de Santa Maria del Fiore — Itália

 

O pedido feito ao arquiteto da catedral, Arnolfo di Cambio, foi: "queremos construir a maior e mais bela igreja nunca antes construída". Foi assim que nasceu o projeto da principal igreja de Florença. Sua construção demorou mais de cem anos e decorreu entre 1296 e 1436. Durante muitos anos a catedral ficou em primeiro lugar no ranking das maiores do mundo, mas atualmente ocupa o quarto lugar. As primeiras posições ficam com as catedrais de São Paulo (Londres), Sevilha e Milão. Além disso, a catedral que homenageia Santa Maria da Flor chama a atenção por sua cúpula. Ela se destaca sobre Florença e desperta a curisosidade de estudiosos e turistas que a visitam. A grandiosidade do templo e suas inúmeras obras e pinturas fazem dela um dos locais mais visitados de toda a Itália. 

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.