TESTE

Poucas novidades: testamos o Fiat Uno Way com câmbio manual

O modelo chegou à linha 2017 com poucas mudanças visuais e várias atualizações mecânicas. Modelo inaugurou linha de motores e conta com versões a partir de R$ 41,8 mil

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 17/06/2017 15:00

Álef Calado*

Fiat/Divulgação
 

Desde o lançamento do Mobi, em abril do ano passado, a Fiat vinha deixando o Uno um pouco de lado. Depois de tantos investimentos no sub-compacto, chegou a vez do hatch ser o centro das atenções e ganhar uma nova geração. O Uno 2017 chega ao mercado equipado com a nova linha de motores Firefly, poucas novidades estéticas e uma série de equipamentos.

A segunda reestilização do modelo não marcou grandes mudanças no visual. A dianteira ganhou uma reformulação discreta, que eliminou os três quadrados clássicos — presentes desde o lançamento, em 2010 — e trouxe uma grade nova, com desenhos mais modernos para as entradas de ar, para os para-choques e para os faróis de neblina.

Por dentro, as novidades também são bem singulares. O banco do motorista ganhou um apoio para braço reclinável, que dependendo do tamanho do condutor, pode atrapalhar bastante, principalmente na hora de passar as marchas. O porta-copos agora vem com uma espécie de suporte, feito de borracha, que não parece ser tão útil no dia a dia. O console ainda é feito de plástico duro, mas tem bom acabamento e não apresenta rebarbas.
Fiat/Divulgação

As alterações mecânicas são o forte da nova linha do hatch. Os retrovisores externos elétricos agora contam com sistema tilt-down e inclinam para baixo automaticamente sempre que o motorista engata a marcha à ré, facilitando na hora de executar manobras e realizar balizas. A direção hidráulica foi substituída pela assistência elétrica progressiva, que deixa a dirigibilidade mais firme à medida que o carro pega velocidade. Para auxiliar na hora de estacionar, além dos retrovisores, a direção conta com modo city, que deixa o volante ainda mais leve. Controles de estabilidade (ESC) e tração, assistente de partida em rampa e sistema Start&Stop (exclusivo para as versões com motor 1.3) completam o pacote.

 

Firefly, a novidade

Fiat/Divulgação
 

Mesmo com tantas novidades, a grande estrela do lançamento está sob o capô.  Depois de quase 17 anos, a montadora italiana finalmente aposentou a família de motores Fire e começou a renovação com a linha global Firefly (vagalume, em inglês). O Uno 2017 é o primeiro modelo a sair de fábrica com os novos propulsores, disponíveis nas versões 1.0 de três cilindros e 1.3 de quatro cilindros.

O caderno Veículos testou a variante Way 1.0, modelo que sai por R$ 42,9 mil e entrega 72 cv a 6.000rpm e torque de 10,4kgfm, quando abastecido com gasolina; e 77 cv a 6.250 rpm e torque de 10,9 kgfm, com etanol. O novo motor dá um ar mais dinâmico para o compacto, e apesar de demorar um pouco para desenvolver, aguenta bem o tranco, principalmente em altas velocidades. Durante os testes, o carro fez uma média de 13,2 km por litro de combustível.

Fiat/Divulgação

* Estagiário sob orientação de Taís Braga

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.