Até que enfim! Volkswagen finalmente revela como será o novo Polo

Maior e mais tecnológica, a sexta geração hatch compacto foi apresentada na Europa. O modelo será fabricado no Brasil, com previsão de lançamento para outubro

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

Volkswagen/Divulgação

A Volkswagen apresentou a sexta geração do Polo na Alemanha, modelo que será fabricado no Brasil ainda neste ano na planta de São Bernardo do Campo (SP). Na linha da VW atual, o hatch se posicionaria entre o Fox e o Golf, porém, como o destino do primeiro ainda é incerto e o Gol foi rebaixado em relação ao up!, é preciso aguardar uma definição. Mas o que é certo é que o Polo está logo abaixo do Golf, vendido atualmente a partir de R$ 77.247 na versão 1.0 TSI Comfortline (disponível apenas com câmbio manual de seis marchas), mas só será possível vislumbrar seu preço no Brasil a partir de quando forem definidas as configurações mecânicas que o modelo vai ganhar por aqui.

Segundo a marca alemã, o Polo já vendeu 16 milhões de unidades mundo afora, contando com as versões produzidas em diferentes mercados. Para quem não se lembra, o modelo já foi vendido no Brasil. O hatch é o segundo veículo a utilizar a nova plataforma modular compacta MQB A0, sendo que o primeiro foi o Seat Ibiza (marca pertencente ao Grupo Volkswagen), que foi encurtado em relação à do Golf. Por esse motivo o Polo vem sendo chamado de mini Golf (que usa a plataforma MQB.

 

O que reforça essa impressão é que o Polo foi enquadrado na atual linguagem de design da Volkswagen na qual o hatch médio já está inserido. O modelo está mais baixo e mais largo, com porte esportivo. O Polo cresceu em relação à geração anterior, tendo agora 4,05 metros de comprimento, 2,56m de entre-eixos, 1,74m de largura e 1,44m de altura. São 11 centímetros de comprimento e 10cm de entre-eixos a mais que um Gol. Em relação ao Golf, o novo Polo perde 20cm de comprimento e 7cm de entre-eixos. O volume do porta-malas também cresceu, de 280 litros na geração anterior foi para 351 litros.

 

Tecnologia premium

Volkswagen/Divulgação
 

O painel também segue a tendência da marca, com elementos horizontalizados, com destaque para a tela de 8 polegadas do sistema de informação e entretenimento (disponível para algumas versões). O aplique na cor da carroceria é um opcional. O modelo ganhou opção de itens e tecnologias difíceis até então de encontrar num compacto, como frenagem automática (para pedestre e veículos), monitoramento de pontos cegos e de tráfego cruzado, assistente de estacionamento, controle de velocidade de cruzeiro adaptativo e painel de instrumentos digital.

Na Europa o compacto terá muitas opções de motor: uma grande novidade é o 1.0 TGI manual, a gás, de 90cv; duas opções do 1.0 MPI (aspirado), 65cv e 75cv, também com câmbio manual; 1.0 TSI (turbo) de 95cv e 115cv, manual e DSG (automatizado); 1.5 TSI de 150cv e 2.0 TSI de 200cv, ambos com câmbio DSG; e 1.6 TDI (diesel) de 80cv e 95cv, manual ou DSG.

Volkswagen/Divulgação

No Brasil o Virtus usará os motores que já existem, provavelmente o 1.0 TSI de 125cv na versão de entrada e o 1.6 MSI de 120cv (como no Golf). Outros motores que podem ser usados nas versões seguintes são o 1.4 TSI de 150cv e 2.0 TSI de 220cv, caso a Volkswagen se anime a vender uma versão GTI. O Polo será lançado no Brasil depois do Salão de Frankfurt, no último trimestre do ano. Vale lembrar que a marca também terá um novo sedã de fabricação nacional, o Virtus. O três volumes chegam no primeiro semestre de 2018 e vão se posicionar entre o Voyage e o Jetta.

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.