Dupla Ninja: Kawasaki apresenta novas 650 ABS e 1000 ABS

Modernizadas no visual, na mecânica e na eletrônica, as novas esportivas perderam peso e conservaram o apelo agressivo que caracteriza o nome. Modelos chegam em julho

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

Kawasaki/Divulgação
 

O nome Ninja, sofisticado guerreiro japonês especializado em artes marciais, que batizou a linha de motocicletas Kawasaki, se transformou em uma espécie de sinônimo de esportividade extrema e se espalhou por outros segmentos. As novas Kawasaki 650 ABS e 1000 ABS, que chegam ao mercado nacional a partir de julho  como modelos 2018, incorporaram a designação, embora, sejam mais “mansas” e versáteis. Os dois modelos ganharam aperfeiçoamentos mecânicos e estéticos, além de mais eletrônica embarcada.

 

A Ninja 650 ABS divide o mesmo conjunto mecânico com a também recentemente lançada naked Z 650. O motor de dois cilindros em linha com 649cm³ de cilindrada fornece 68cv de potência e torque de 6,7kgfm. Assim como na Z 650, as exigências ambientais restringiram a potência, que foi reduzida em 4cv. Em compensação, o torque foi ampliado e aparece mais cedo, em rotações mais baixas, facilitando a pilotagem no dia a dia. Outra compensação foi a redução de 15kg no peso.

 

Regime

 

A lipoaspiração mais radical foi no quadro, que ganhou arquitetura em treliça de tubos de aço sem perder a rigidez torcional. Abastecida a motocicleta marca 193kg. O visual ficou parecido com o modelo superesportivo ZX-10R – que compete no Mundial de Superbike (para motos de série) com bastante sucesso — com uma carenagem mais agressiva, duplo farol na dianteira e lanterna traseira de LED com um xis estilizado. A rabeta também ficou mais curta e inclinada para cima.

Kawasaki/Divulgação

O painel digital tem computador de bordo e ganhou shift light, que é uma luzinha que acende na hora ideal das trocas de marcha. A suspensão dianteira é convencional, não invertida, com tubos de 41mm de diâmetro. A suspensão traseira é mono, com amortecedor quase na horizontal, com possibilidade de regulagem na pré-carga. Os freios dianteiros são duplos, com discos de 300mm, e o traseiro tem disco de 220mm, ambos equipados com ABS. O preço sugerido é de R$ 33.990. Na versão SE, com visual semelhante aos modelos preparados para competição, o valor sobe para R$ 34.990.

 

1000 ABS

 

Em sua terceira geração, o modelo Ninja 1000 ABS ganhou mais eletrônica para facilitar a vida do piloto. A sopa de letrinhas começa com o KCMF (Kawasaki Cornering Management Function), que administra o comportamento do quadro e do motor. O KIBS (Kawasaki Intelligent anti-lock Brake System) ajusta a intensidade da pressão dos freios ABS. O motor é um quatro cilindros em linha, com 1.043cm³ de cilindrada, que entrega 142cv a 10.000rpm e um torque de 11,3kgfm a 7.300rpm.

Kawasaki/Divulgação

O visual também ficou mais agressivo, com linhas dos modelos preparados para competição. A carenagem abriga um para-brisa mais alto em 15mm, com três regulagens, e duplo farol de LED. O painel digital também foi modificado e tem indicador de marcha engatada, além de contar com embreagem deslizante. A suspensão dianteira é regulável e invertida. A traseira é mono, também regulável. O preço sugerido para a versão Standard é de R$ 56.990 e para a versão Tourer (versão Kawasaki, com malas, bolha fumê e tomada 12V) é de R$ 59.990.

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.