Colégios oferecem cursos para que alunos conheçam o mundo das empresas

alguns colégios tem trazido a rotina das empresas para dentro de sala de aula e incentivando o empreendedorismo entre os jovens.

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 13/01/2014 08:00 / atualizado em 10/01/2014 16:48

	Lucia Medina/Arquivo pessoal
Com os horários recheados de disciplinas voltadas para o vestibular, os estudantes, principalmente do ensino médio, tem poucas oportunidades de conhecerem a realidade do mercado de trabalho. Mas alguns colégios tem trazido a rotina das empresas para dentro de sala de aula e incentivando o empreendedorismo entre os jovens.

“Os alunos que participam dessas atividades tem a oportunidade de fazer parte do cotidiano de uma empresa e entender melhor o funcionamento de uma companhia, o que dificilmente fariam durante as aulas tradicionais”, conta a coordenadora disciplinar Lucia Medina, uma das responsáveis pela organização do projeto Mini Empresa no colégio em que trabalha. Lucia também explica que os ensinamentos contribuem para outros conteúdos.”As lições aprendidas ajudam a colocar em prática elementos vistos em sala, o que motiva o aprendizado dos envolvidos”.

O coordenador pedagógico Renato Nóbrega também acredita que o programa ajuda em sala de aula. “Muitas das ações promovem conhecimentos como cálculos e planejamentos, complementares a outras disciplinas, propiciando um amadurecimento estudantil e para a vida”.

A estudante Amanda Augusta participou da Mini Empresa no ano passado e afirma que a experiência auxilia até mesmo na escolha da futura profissão. “Sempre me interessei em saber como é a organização das empresas e pretendo seguir uma carreira como executiva. Este tipo de curso nos ajuda a conhecer melhor as áreas que podemos trabalhar no futuro”.

O curso que Amanda fez parte conta com aulas e seminários dadas por profissionais do mercado de trabalho e a criação de uma empresa pelos alunos. Entre as atividades dos estudantes estão a criação do nome e da logomarca, a elaboração do produto a ser comercializado, a produção, a captação de verba, a administração dos recursos e a divisão dos lucros obtidos. Para isso, os alunos recebem cargos e tarefas, simulando o funcionamento de uma companhia. Os encontros são feitos semanalmente em horário complementar às aulas, para que o desenvolvimento acadêmico não seja prejudicado.

Oportunidades
Anna Luiza também participou do projeto e considera que a aprendizagem vai além dos cargos executados. “Na realidade, o curso superior que quero fazer nem é voltado para essa área, mas acho importante aprender sobre o funcionamento de empresas, caso eu queira trabalhar ou mesmo abrir meu próprio negócio um dia”.

A professora Rosana Daoud, cujo filho participou do projeto, ressalta outros valores transmitidos e que podem ser aproveitados na vida pessoal e profissional dos estudantes. “Eles passam a ter uma noção maior de responsabilidade, comprometimento, organização e percebem a importância de traçar metas e planejar suas atividades. Esses ensinamentos podem ser usados em qualquer área de trabalho e mesmo nos estudos”.

A opinião de Rosana é reforçada pelo coordenador pedagógico Renato Nóbrega. “Além dos conteúdos acadêmicos, projetos como o da Mini Empresa estimulam o trabalho em equipe, a cooperação e até mesmo desenvolve habilidades de comunicação e relação pessoal. Dessa maneira, quebra-se a ideia que atividades de empreendedorismo podem acirrar a competição entre os alunos ou transmitir outros valores negativos”.
Tags:
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.