Publicidade

Correio Braziliense

Governador de Goiás discute crise penitenciária com ministro da Justiça

Marconi Perillo se encontrou com Torquato Jardim em Brasília, em meio às rebeliões que ocorrem nos presídios de Goiás


postado em 09/01/2018 14:32 / atualizado em 09/01/2018 14:40

"Eu apresentei ao ministro um dossiê de todos os investimentos que o Estado fez", afirmou Perillo (foto: Ed Alves/CB/D.A Press)


O governador de Goiás, Marconi Perillo, se encontrou, nesta terça-feira (9/1) com o ministro da Justiça, Torquato Jardim, para discutir a crise que atinge o setor penitenciário no estado. Perillo recebeu críticas do Ministério da Justiça por não utilizar todo o orçamento repassado pelo governo federal e que foi destinado para a segurança pública.

Leia as últimas notícias de Brasil

Na reunião com Torquato, realizada no Ministério da Justiça, em Brasília, Perillo prestou contas dos investimentos realizados no setor penitenciário. "Eu apresentei ao ministro um dossiê de todos os investimentos que o Estado fez. Falei com ele sobre a necessidade ter presídios federais em todos os estados para custodiar criminosos que realizam crimes transnacionais", destacou.

Durante uma coletiva de imprensa, realizada ontem em Goiânia, por conta da visita da ministra Cármen Lúcia, do Supremo Tribunal Federal (STF) ao estado, Perillo evitou criticar o governo federal, mesmo com as demais autoridades reclamando da falta de apoio da União para enfrentar o problema. 

Assim que o Complexo Prisional de Aparecida de Goiânia foi atingido por uma rebelião que deixou nove mortos e mais de 200 foragidos, o Ministério da Justiça divulgou uma nota afirmando que repassou ao governo goiano no ano passado R$ 32 milhões para manutenção e expansão dos presídios. No entanto, de acordo com a pasta, apenas 18% desse valor foi usado. 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade