Publicidade

Correio Braziliense

'Como não ser um babaca no carnaval', ação luta contra assédio no feriado

"Não puxar a 'mina' pelo braço", "não tentar beijar forçado", "não encostar com malícia", são algumas das dicas para que a folia possa ser curtida com total respeito.


postado em 26/02/2019 22:10 / atualizado em 26/02/2019 22:14

(foto: Prefeitura de Recife/Divulgação )
(foto: Prefeitura de Recife/Divulgação )

A prefeitura de Recife (PE) lançou nesta segunda-feira (25/2) o "Pequeno Manual Prático de Como não ser Babaca no Carnaval" — uma campanha para combater o assédio no feriado. "Não puxar a 'mina' pelo braço", "não tentar beijar forçado", "não encostar com malícia", são algumas das dicas para que a folia possa ser curtida com total respeito e sem que as mulheres sejam vítimas de importunação
 
Para coibir o comportamento inadequado, a prefeitura lançou ilustrações para explicar o que não é permitido durante a cantada e também lançou um vídeo para chamar atenção para o problema (veja vídeo e imagens abaixo). A gravação é narrada por Alcione Alves, que hitou após fazer dublagens cômicas em vídeos de famosos e  que ficou conhecida por criar gírias e expressões como "teile" e "zaga". 
 
Outras dicas para não cometer assédio é que a pessoa não fique "tirando onda" e respeite se uma mulher estiver bêbada, por exemplo. "Nem tente se aproveitar", diz a campanha. O mesmo vale para uma mulher que está usando saia ou short: "deixa ela brincar em paz". Se nada der certo e mesmo assim, um homem assediar, Alcione dá o recado: "180 nele". 
 
  

 
180  

O Ligue 180 é uma central de atendimento à mulher em situação de violência, e é prestado de forma gratuita e confidencial. O canal tem objetivo de receber denúncias e orientar as mulheres sobre seus direitos. Ele funciona 24h, todos os dias da semana, inclusive fins de semana e feriados, e pode ser acionada de qualquer lugar do Brasil. 

Importunação Sexual 

Este é o primeiro carnaval após a aprovação da lei que tipifica importunação sexual como crime. Beijo roubado ou forçado, passar a mão, "encoxar", fazer cantadas invasivas são alguns dos atos considerados importunação sexual. 
 
 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade