Publicidade

Correio Braziliense

Suspeito de agredir vendedora no ES enviou áudio à sogra após o crime

A mensagem foi enviada por um aplicativo. Nela, ele dá a entender que algo aconteceu à filha dela


postado em 06/03/2019 19:45 / atualizado em 06/03/2019 21:21

(foto: Reprodução)
(foto: Reprodução)
 
Principal suspeito de ter agredido e abandonado no meio da rua a vendedora Jane Cherubim, 36 anos, o namorado da vítima, Jonas Guimarães Amaral Neto, 34 anos, enviou um áudio para a sogra logo após o crime.

A mensagem foi enviada por um aplicativo. Nela, ele dá a entender que algo aconteceu à filha dela. "Tava no bar trabalhando, pedi para ela ir no bar perto de mim e ela não quis, pra fazer desfeita da minha pessoa, dona Maria. Ela tá aqui agora fingindo que é não sei o quê, tá desmaiada no asfalto aí. Eu cansei, dona Maria. Eu fiz de tudo pra vocês, cansei dessa vida hipócrita minha. Cansei mesmo, de coração", diz no áudio.

O conteúdo da mensagem foi encaminhado ao Correio pelo advogado da família de Jane, Bruno Gaspar. Segundo ele, a vítima apresentou melhoras nas últimas horas. “Ela tentou dizer algumas palavras ontem (terça-feira 5/3). Está sedada, respira por aparelhos, mas não corre risco de vida”, relatou.
 
 
 

ATENÇÃO: IMAGEM FORTE

 
(foto: Polícia Militar)
(foto: Polícia Militar)
 

O crime

De acordo com o advogado, a vendedora Jane e o namorado trabalharam em um bar do irmão dela, no Espírito Santo. Após o expediente na madrugada da segunda-feira (4/2), por volta das 3h, o casal saiu do estabelecimento em um carro com destino a Espera Feliz (MG), onde moravam.

No entanto, segundo o defensor, o irmão contou que o companheiro da vítima tomou um rumo oposto ao de costume. “Em vez de descer a estrada para Espera Feliz, ele seguiu em direção ao Parque do Caparaó, no local chamado de Forquilha do Rio”, afirma o advogado.

O irmão da vítima, então, estranhou e ligou para Jane, mas não obeteve respostas. Ele ligou, em seguida, para Amaral e, após várias tentativas, o namorado atendeu o telefone e disse que deixou a vítima em casa e que estava tudo bem. 

O advogado afirmou ainda que o irmão da vítima desconfiou que algo aconteceu à irmã e se dirigiu até a casa dela. No local, não a encontrou, mas só o filho de 12 anos de Jane. Então, ele seguiu para casa de Amaral e lá diz que ouviu uma conversa do pai do acusado com o filho pedindo para ele não fazer uma besteira.

Após ouvir a conversa, ele pediu ajuda a outro irmão da vítima para procurar por Jane na redondeza das estradas que ligam as duas regiões. 

Foi quando encontraram a vítima com sinais de tortura. "Ao chegar na estrada, ele encontrou Jane seminua, com o rosto completamente desfigurado e com as unhas arrancadas. Ela estava desfalecida, jogada para fora do carro, próximo ao carro do agressor, que fugiu a pé", conta.

Considerado foragido, Amaral é alvo de buscas pelas polícias do Espírito Santo e de Minas Gerais. A Justiça determinou a prisão dele na terça-feira (5/4). 

* Estagiário sob supervisão de Roberto Fonseca

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade