Publicidade

Correio Braziliense

Polícia descarta presença de bomba em escola alvo de ataque em Suzano (SP)

Dupla de atiradores portava pacote com fios elétricos, mas perícia constatou que se tratava de uma bomba falsa


postado em 13/03/2019 15:03 / atualizado em 13/03/2019 19:00

Ver galeria . 11 Fotos Nelson Almeida/AFP
(foto: Nelson Almeida/AFP )
João Camilo Pires dos Santos, secretário de Segurança Pública do estado de São Paulo, confirmou, em entrevista coletiva, na tarde desta quarta-feira (13/3), que os dois atiradores que atacaram a escola estadual Raul Brasil, em Suzano (SP), não portavam explosivos. 

 

A suspeita de que, além de armas — como um revólver, lançador de flechas e facas e outros objetos cortantes — os dois atiradores portavam explosivos surgiu porque eles portavam um pacote com fios elétricos.

 

O objeto fez com que um grupo antibombas da Polícia Militar entrasse na escola, fizesse uma varredura e analisasse a possível bomba. "Após fazer a vistoria e analisar com raios x, contatou-se que era um pacote fake", afirmou Santos.

 

Na manhã desta quarta-feira, Guilherme Monteiro, 17 anos, e Luís Henrique de Castro, 25, ambos ex-alunos da instituição, invadiram a escola e mataram ao menos oito pessoas, cometendo suicídio em seguida.

 

(foto: Editoria de Artes/CB)
(foto: Editoria de Artes/CB)
 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade