Publicidade

Correio Braziliense

Dona de imóvel usado por acusadora de Neymar nega invasão; veja imagens

A denúncia de que o apartamento utilizado pela modelo Najila Souza havia sido arrombado foi feita pela advogada da modelo. Proprietária, no entanto, refutou informação


postado em 06/06/2019 17:04 / atualizado em 06/06/2019 17:48

(foto: Reprdoução/SBT)
(foto: Reprdoução/SBT)
A dona do imóvel utilizado por Najila Trindade Mendes de Souza, a mulher que acusa o atacante Neymar, do Paris Saint Germain (PSG) e da Seleção Brasileira, de estupro negou, nesta quinta-feira (5/6), que o apartamento da modelo tenha sido invadido. 

A denúncia de arrombamento do imóvel foi feita mais cedo pela advogada de Najila, Yasmin Pastore Abdalla. Segundo a ESPN, a defensora afirmou que a modelo de 26 anos está recebendo ameaças e teve seu apartamento, na Zona Sul de São Paulo, arrombado na noite de quarta-feira (5/6).

No entanto, ao Correio, a proprietária do imóvel, Verena Fiori Ferreira, negou que tenha ocorrido arrombamento da porta. "A empregada deixou a porta aberta de propósito, e as câmeras de segurança do prédio pegaram. A polícia foi acionada, e a empregada foi intimada a depor", disse. 

(foto: Arquivo cedido ao Correio)
(foto: Arquivo cedido ao Correio)
Ainda de acordo com Verena, a administração do prédio também vai registrar um boletim de ocorrência sobre o ocorrido. "As fotos tiradas nas portas do apartamento (veja foto e vídeo nesta matéria) não mostram arrombamento. É um condomínio fechado com porteiros e segurança", acrescentou a proprietária, que não mora no Brasil.

Procurada pelo Correio, a Secretaria de Segurança Pública de São Paulo informou que a Polícia Civil do Estado não possui nenhuma ocorrência relacionada ao caso do arrombamento.
 


Complô

Após entrevista ao SBT na quarta-feira (5/6), a modelo falou nesta quinta ao site Buzzfeed e disse estar sendo alvo de um complô que visa inocentar Neymar. 
"Meu apartamento foi arrombado, entendeu? Acabei de ligar para a síndica e ninguém sabe, ninguém viu. Está todo mundo de complô contra mim", afirmou.  

"É mais fácil me incriminar como puta e fim, arquivar o caso. Esse mundo é uma merda. E sabe o que vai acontecer? Vão me matar e dizer que eu me suicidei, que estava mentindo e vida que segue. Mulheres continuarão a ser estupradas, violadas, violentadas e tratadas como lixo", acrescentou.
  

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade