Publicidade

Correio Braziliense

Crianças devem ser vacinadas com dose adicional contra sarampo

A criação da medida é em resposta aos 1.845 casos confirmados de contágio da doença


postado em 20/08/2019 21:39 / atualizado em 20/08/2019 21:48

(foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil)
(foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil)
Cerca de 1,4 milhão de crianças entre seis meses e 1 ano de idade devem ser vacinadas contra sarampo em todo o país com dose adicional, que não substitui as demais que integram o Calendário Nacional de Vacinação. A medida anunciada pelo Ministério da Saúde é uma resposta aos 1.845 casos confirmados de contágio da doença até 18 de agosto, 1.680 apenas nos últimos 90 dias. 
 
O Ministério da Saúde afirma que a doença já afeta São Paulo, Rio, Pernambuco, Goiás, Paraná, Maranhão, Rio Grande do Norte, Espírito Santo, Bahia, Sergipe e Piauí. Para o secretário em Vigilância em Saúde, Wanderson Kleber, o objetivo das ações preventivas é erradicar a incidência de casos e prevenir maiores danos. 

Os mais de 36 mil postos de vacinação do Brasil receberam 10,5 milhões de doses da tríplice viral, vacina que previne contra sarampo, rubéola e caxumba. De acordo com o secretário, o planejamento de compra da vacina baseia-se na aplicação média de 2,5 milhões de doses por mês considerando as ações de rotina, ações de bloqueio, doses adicionais e doses para as pessoas que precisam ser vacinadas neste momento.

São Paulo, que concentra 99% dos casos de sarampo do país, recebeu 71% das vacinas. "A estratégia central utilizada para conter a propagação no estado é o bloqueio vacinal, que visa verificar de casa em casa a situação das pessoas que tiveram contato ou tem contato com o caso suspeito em até 72 horas", afirma Wanderson Kleber. O bloqueio vacinal é recomendado que seja realizado de forma seletiva, ou seja, não há necessidade de revacinação das pessoas que já foram vacinadas anteriormente e que possuem comprovação vacinal.

Segundo Wanderson, a dose não confere a dose correta da vacina sozinha e precisa de outras para atingir a quantidade suficiente. Os pais e responsáveis devem levar os filhos para tomar a vacina tríplice viral (D1) aos 12 meses de idade (1ª dose), e aos 15 meses (2ª dose) para tomar a vacina tetra viral ou a tríplice viral + varicela, respeitando o intervalo de 30 dias entre as doses. 

De acordo com o secretário, o Ministério da Saúde tem atuado ativamente junto a estados e municípios no enfrentamento do surto de sarampo. Além das medidas preventivas, os profissionais de saúde das redes pública e privada foram alertados em relação à proteção e aos cuidados para evitar a propagação do sarampo nas unidades de saúde do país. 

Distrito Federal

A Secretaria de Saúde do Distrito Federal confirmou três casos de sarampo, em Brasília. Das três pessoas, duas são irmãos que foram contaminados por um terceiro irmão que mora no estado de São Paulo e visitou Brasília. O terceiro caso foi de uma pessoa que contraiu a doença em uma viagem a São Paulo e voltou para o DF infectada.
 
*Estagiária sob supervisão de Roberto Fonseca  

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade