Publicidade

Correio Braziliense

Mulher recebe apenas um bebê após exames atestarem gravidez de gêmeos

Mulher acusa hospital de ter sumido com um dos bebês em Quirinópolis, Goiás. De acordo com o ultrassom, ela estava grávida de gêmeos


postado em 18/09/2019 13:25 / atualizado em 18/09/2019 14:11

Exames de ultrassom feitos em clínicas diferentes apontaram gravidez de gêmeos(foto: Daniel Ferreira/CB/D.A Press)
Exames de ultrassom feitos em clínicas diferentes apontaram gravidez de gêmeos (foto: Daniel Ferreira/CB/D.A Press)
Uma dona de casa da cidade de Quirinópolis, no sul de Goiás, esperava gêmeos, mas recebeu apenas uma criança na hora do parto. Ela alega que todos os exames mostravam a gravidez gemelar. 

O parto aconteceu no Hospital Antônio Martins da Costa, na sexta-feira, (13/9). A mulher contou que estava desacompanhada na hora da cirurgia e que "apagou" na hora da anestesia para a cesariana. Quando acordou, viu apenas um bebê no berço.

Ela contou às autoridades que chegou a questionar onde estava a segunda criança, mas a equipe do hospital não a respondeu. Após deixar a unidade de saúde, com apenas um filho, a mulher procurou a delegacia e registrou boletim de ocorrência do caso.

À polícia, foram apresentados três exames de ultrasson feitos por médicos e clínicas diferentes. Todos apontavam a existência de dois bebês. Ainda assim, a Polícia Civil de Goiás não descarta a hipótese de erro no diagnóstico.

A família alega ainda que o hospital emitiu dois atestados de nascimento. Em nota, a Secretaria Municipal de Saúde de Quirinópolis informou que não entregou a declaração de nascido vivo de duas crianças, mas de apenas uma, duas vezes. Isso, segundo o órgão, é que causou a confusão. A secretaria disse ainda que está fornecendo toda a documentação para que o caso seja esclarecido na investigação policial.

Caso parecido em Pernambuco 


Na semana passada, uma adolescente de 15 anos que passou nove meses esperando gêmeos também recebeu apenas uma criança na hora do parto. Assim como no caso em Goiás, a família da jovem pernambucana apresentou documentos à policia que atestavam a gravidez de gêmeos. 

A mãe da jovem contou aos investigadores que esperou do lado de fora por cerca de 30 minutos para que entregassem a roupa para acesso ao bloco cirúrgico, quando ela entrou, viu o médico tirando apenas uma criança e dizendo que não havia outro bebê.

Já o Hospital Gararapes conta outra versão. Segundo eles, a mãe da paciente estava presente desde o início da incisão para a cesariana até o nascimento da criança. "Ela acompanhou todo o ato cirúrgico bem como a surpresa de toda a equipe ao constatar que havia apenas um bebê", informaram em nota.

O Conselho Regional de Medicina de Pernambuco (Cremepe) abriu uma sindicância para apurar a conduta médica da equipe que realizou a cirurgia cesariana.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade