Publicidade

Correio Braziliense

Mancha de óleo atinge mais duas praias pernambucanas

Manchas de óleo apareceram também na Praia de Barrada Jangada e Praia do Janga, em Pernambuco, nesta quarta-feira; origem do vazamento que polui as praias do Nordeste segue desconhecida


postado em 23/10/2019 19:01

Presos também estão participando de mutirão de limpeza nas praias poluídas do Nordeste(foto: REUTERS/Diego Nigro)
Presos também estão participando de mutirão de limpeza nas praias poluídas do Nordeste (foto: REUTERS/Diego Nigro)
Após 55 dias do aparecimento de manchas de óleo no litoral da Paraíba, o produto, de origem desconhecida, que já atingiu os nove estados do Nordeste, continua chegando à costa, poluindo trechos que ainda não tinham sido afetados. Em Pernambuco, ao menos mais duas praias, distantes cerca de 50 quilômetros uma da outra, foram atingidas hoje (23).

Segundo a prefeitura do Jaboatão dos Guararapes, na Grande Recife, o óleo atingiu um trecho da Praia de Barra de Jangada esta madrugada. Servidores municipais que estavam de prontidão monitorando a área, militares da Marinha, voluntários e um grupo de detentos coletaram todo o material que conseguiram, “minimizando os danos”, conforme informou a prefeitura.


Voluntários

Os 50 presos que participaram da ação de limpeza cumprem pena no regime semiaberto da Penitenciária Agroindustrial São João, localizada na Ilha de Itamaracá, também na região metropolitana de Recife. De acordo com o governo de Pernambuco, todos se voluntariaram para o trabalho. Em troca, terão esse tempo descontado de suas penas, conforme previsto na legislação. Separados em grupos e usando Equipamentos de Proteção Individual (EPIs), eles ajudaram a recolher parte do óleo em sacos de lixo, sendo o tempo todo escoltados por agentes penitenciários.

Também durante a madrugada, moradores constataram a presença de óleo na orla da Praia do Janga, no município de Paulista, no litoral norte pernambucano. Nas redes sociais, a prefeitura anunciou que está “fechando o planejamento que vai mobilizar todas as secretarias, ONGs, colônias de pescadores e a população para minimizar um possível desastre ambiental”, e convocou voluntários a procurar a prefeitura para saber como colaborar.

Até ontem (22), o governo estadual já contabilizava a coleta de 489 toneladas de óleo e material contaminado ao longo do litoral pernambucano.

Pesquisa

O governo de Pernambuco anunciou esta manhã (23) o lançamento de um edital para estimular a realização de pesquisas sobre as consequências da poluição para a saúde da população e para os ecossistemas atingidos pelo óleo.

A secretaria estadual de Ciência, Tecnologia e Inovação destinará R$ 2,5 milhões à iniciativa. A Fundação de Amparo à Ciência e Tecnologia do Estado de Pernambuco (Facepe) contratará 12 projetos.

O edital é voltado à contratação de laboratórios e instituições de pesquisa, públicos ou privados. Cada projeto de até R$ 200 mil deverá ser executado em até um ano. O edital com todas as informações estará disponível a partir da próxima sexta-feira (25), no site da Facepe.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade