Brasil

Caso Miguel: MPPE denuncia Sarí Corte Real por abandono de incapaz

Segundo a denúncia apresentada pelo MPPE, o crime teve a pena agravada por ter acontecido durante a pandemia de covid-19

Hellen Leite
postado em 14/07/2020 12:05
Sarí Gaspar Côrte Real, primeira-dama de Tamandaré (PE), estava responsável por Miguel Otávio, de 5 anos, quando ele caiu do 9º andar de um prédio em RecifeA primeira-dama de Tamandaré, Sari Corte Real foi denunciada pelo Público de Pernambuco (MPPE), nesta terça-feira (14/7), por abandono de incapaz no inquérito que investiga a morte do menino Miguel Otávio, de 5 anos. Segundo a denúncia, o crime teve a a pena agravada por "ter sido contra criança em meio à conjuntura de calamidade pública", durante a pandemia da covid-19.

A denúncia é assinada pelo promotor de Justiça criminal Eduardo Tavares, da 1; Vara de Crimes contra Criança e Adolescente. O desdobramento do caso é aguardado com expectativa pela mãe do garoto, Mirtes Renata de Santana. "Espero que o MPPE aceite a denúncia contra Sarí. O inquérito está claro, bem feito e sem brechas", comentou Mirtes em notícia divulgada pelo jornal Diário de Pernambuco, na segunda-feira (13/7).

Sari Corte Real estava responsável pelo menino quando ele caiu do 9; andar de um prédio de luxo no Recife (PE), no dia 2 de junho. A mãe da criança havia saído do apartamento para passear com a cadela da família dos patrões.

Chorando e procurando pela mãe, Miguel entrou no elevador do edifício duas vezes para buscá-la. Ele chegou a ser impedido pela primeira vez por Sarí, mas conseguiu se desvencilhar na segunda tentativa. Em vídeos de câmeras de segurança, a mulher aparece apertando botões e deixando o menino sozinho no elevador.

A primeira-dama chegou a ser presa em flagrante logo após a morte de Miguel, mas foi liberada após pagar fiança de R$ 20 mil

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação