Publicidade

Correio Braziliense

Bloco Pacotão sai às ruas pela segunda vez no último dia de carnaval

Segundo organizadores, o tradicional bloco que tem na crítica política sua principal característica, juntou cerca de 8 mil pessoas


postado em 13/02/2018 18:08 / atualizado em 13/02/2018 19:26

(foto: Carlos Vieira/CB/D.A Press)
(foto: Carlos Vieira/CB/D.A Press)

A folia do Pacotão voltou às ruas da cidade nesta terça-feira (13/2). Por volta das 14h, as tradicionais marchinhas políticas, uma bateria de samba e muita espuma marcaram o início do bloco, quando a Polícia Militar estimava cerca de 1,5 mil pessoas. Porém, no decorrer do dia, a organização do bloco disse que a folia cresceu e calculou 8 mil foliões participantes. 
 
Assim como no primeiro dia de desfile — o domingo (11/2), quando o bloco reuniu 4 mil foliões, segundo a PM —, o Pacotão levantou a bandeira do "Folia Sem Dinheiro Público", tema de 2018. O grupo costuma fazer críticas à política em geral e ao governo brasileiro. 

Saias e havaianas contra o calor


O público, variado em idade, se vestiu de forma variada. Teve quem caprichou na fantasia, mas muitos preferiram os colares de havaianas, saias de bailarina, tiaras coloridas e chapéus, que ajudaram a encarar o sol quente desta terça.
 
A produtora cultural e moradora do Riacho Fundo 1 Mazé Fernandes estava acompanhada da filha Carolina Batista, 16 anos. Elas decidiram ficar ao lado da bateria do Pacotão. "Sempre ficamos perto do samba, porque, para mim, ela traz a maior alegria para o bloco. É onde eu posso ser eu mesma", disse Carolina.
 
A dupla segue o Pacotão há quatro anos. "O que eu mais gosto é que a festa é mais familiar, onde as pessoas se respeitam. A gente não briga durante a folia", afirma Mazé Fernandes.
 
Maria Rita Fernandes, Joel Ribeiro e Roberta Morais: filha, pai e mãe seguem o Pacotão há 15 anos(foto: Carlos Vieira/CB/D.A Press)
Maria Rita Fernandes, Joel Ribeiro e Roberta Morais: filha, pai e mãe seguem o Pacotão há 15 anos (foto: Carlos Vieira/CB/D.A Press)


A diretora pedagógica Roberta Morais, 42 anos, moradora do Gama, se deslocou de sua cidade para pular o carnaval com a filha Maria Rita Fernandes, 12, e o marido Joel Ribeiro, 49, que é segurança. "Venho para o carnaval do Pacotão há 15 anos. É uma festa pela qual sou apaixonada. Vim quando criança, com os meus pais, e hoje, trago a minha família", relata a mãe Roberta, que se vestiu de unicórnio. 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade