Publicidade

Correio Braziliense

GDF sugere mudar local de Baratona e Raparigueiros após casos de violência

Os blocos desfilaram no Eixão Sul e reuniram 350 mil pessoas em dois dias. Ao menos três foram esfaqueados em meio à aglomeração de foliões. Agremiações e a população devem ser consultadas sobre a mudança


postado em 01/03/2017 20:08 / atualizado em 01/03/2017 21:18

Flagrante do momento em que um dos homens era atingido(foto: Minervino Junior/CB/D.A Press)
Flagrante do momento em que um dos homens era atingido (foto: Minervino Junior/CB/D.A Press)
 
Diante dos casos de violência registrados em blocos que desfilaram no carnaval deste ano, o Governo do Distrito Federal manifestou intenção de alterar os locais de concentração do Baratona e do Raparigueiros. Os dois eventos ocorrem, todos os anos, nos domingos e nas terças-feiras de carnaval, na 108 e na 110 Sul, mas acabam se misturando e virando um bloco só.
 
 
Neste ano, o público estimado pela Secretaria de Segurança Pública e da Paz Social (SSP-DF) foi de 180 mil pessoas no domingo e 170 mil no último dia do carnaval. Durante coletiva de imprensa na tarde desta quarta-feira (1º/3), a secretária Márcia de Alencar afirmou, sem sugerir um local, que vai propor a mudança do bloco para uma região mais segura e que facilite o trânsito das forças de segurança entre os foliões. A SSP realizará audiências públicas com a sociedade e com os presidentes dos blocos para escolher outro lugar para a festa do Raparigueiros e do Baratona.
  
Márcia também destacou que o bloco Babydoll de Nylon reuniu 160 mil pessoas e que não registrou nenhum caso de violência. Para ela, as características do Eixo Monumental, onde se concentrou o Babydoll, fazem da via um "sambódromo natural". A secretária disse ainda que o efetivo de policiais militares que fez a segurança do local foi suficiente.
 
Protegidos pelo anonimato da multidão, algumas pessoas aproveitaram para praticar crimes e atos de violência no aglomeração de foliões no Eixão Sul na última terça-feira. O caso mais recente, registrado em imagens pelo repórter fotográfico do Correio Minervino Júnior, mostra um jovem de 18 anos atacando um folião com uma faca. O rapaz chegou a ser preso, mas vai responder em liberdade.

O presidente da Raparigueiros, Wellinton Santana, detalhou que diversas audiências públicas já foram realizadas para discutir os locais dos blocos. "Não adianta mudar de local.  Na terça-feira, o Eixão ficou tomado com mais de 200 mil pessoas. Um público grande para uma baixo efetivo de policiais que foram escalados por falta de planejamento", reclamou.
 
O presidente do Baratona, Paulo Henrique de Oliveira, disse que, independentemente do local, quem não tem espírito de carnaval e quer fazer confusão, fará da mesma maneira. "Tivemos um ano que o governo transferiu as festividades para o Autódromo, o carnaval de rua quase morreu com isso. Tudo que é pedido para a organização para minimizar os efeitos dos blocos no Eixão é feito. Vamos procurar nossos direitos caso, de fato, o governo proponha essa mudança." 
 
 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade