Publicidade

Correio Braziliense

GDF vai captar mais de R$ 132 mi para obras no Descoberto e no Lago Paranoá

GDF conseguiu aprovação de projeto na CLDF para obter recursos do exterior destinados à obras no córrego do Rodeador. Medida faz parte do pacote do Governo para conter a crise hídrica


postado em 06/12/2017 12:29 / atualizado em 06/12/2017 18:16

Canal do Rodeador recebe obras para otimizar o uso do manancial na crise hídrica(foto: Tony Winston/Agência Brasília)
Canal do Rodeador recebe obras para otimizar o uso do manancial na crise hídrica (foto: Tony Winston/Agência Brasília)
O Governo do Distrito Federal vai poder obter US$ 41 milhões em recursos de outros países para obras no ribeirão Rodeador, em Brazlândia, e de outras obras do Programa Brasília Capital das Águas, como na orla do Lago Paranoá. O valor aprovado corresponde a mais de R$ 132,4 milhões. A aprovação do projeto lei, de autoria do governador Rodrigo Rollemberg, pela Câmara Legislativa foi publicada nesta quarta-feira (6/12) no Diário Oficial do DF.


O projeto faz parte do pacote de medidas do GDF para evitar a piora da crise hídrica no ano que vem. A captação do montante está inscrita no programa Brasília Capital das Águas, tentativa do governo em recuperar mananciais espalhados pelo DF. Do valor arrecadado, 35% serão utilizados na área da Bacia do Descoberto e o restante em obras de infraestrutura e recuperação da orla do Lago Paranoá. Em 27 de novembro, o governador Rollemberg prorrogou a situação de emergência por mais 180 dias, contados desde então.

Há quase um mês, em 7 de novembro, a barragem do Descoberto atingiu a mínima histórica: apenas 5,3% do volume útil do reservatório estava disponível para uso. A volta das chuvas, porém, deu algum alívio ao nível de água, que ultrapassou os 10% na tarde de terça-feira (5/12).

O canal do Rodeador, principal alvo da lei aprovada pela Câmara Legislativa, passou por reformas em abril. Na ocasião, o GDF recuperou 30 metros da tubulação no local. A água é utilizada principalmente por produtores rurais de Brazlândia, que vêm registrando prejuízo com a crise hídrica.

Além da atenção especial ao ribeirão Rodeador, que fica na parte mais alta do Distrito Federal, a nova lei dá permissão ao GDF a aplicar parte dos recursos no córrego Sobradinho. O manancial é outro curso d’água atendido pelo Projeto Caminho das Águas, da Secretaria de Meio Ambiente.

Caesb tenta dar mais fôlego ao Sistema Descoberto


A Companhia de Saneamento Ambiental (Caesb) divulgou, na terça-feira, a ampliação da transferência de parte da vazão do Sistema Santa Maria às áreas geralmente atendidas pelo reservatório do Descoberto. A medida contempla regiões como o Guará, Park Way e Candangolândia.

A ideia da Caesb é que menos água saia do Descoberto para abastecer as cidades. O reservatório responde por mais de 60% do fornecimento de água do DF, especialmente na região Oeste.  O volume útil do sistema Torto/Santa Maria está em situação menos crítica do que o Descoberto, com 22,7% da capacidade, mas ainda abaixo dos 24% de referência do mês.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade