Publicidade

Correio Braziliense

Cerimônia marca encerramento das atividades no Lixão da Estrutural

O local, no entanto, vai continuar recebendo resíduos da construção civil por tempo indeterminado


postado em 20/01/2018 10:18 / atualizado em 20/01/2018 12:52

Em cerimônia, o governador trancou com cadeado, simbolicamente, a entrada onde passavam caminhões de lixo(foto: Ed Alves/CB/DA Press)
Em cerimônia, o governador trancou com cadeado, simbolicamente, a entrada onde passavam caminhões de lixo (foto: Ed Alves/CB/DA Press)


O Lixão da Estrutural, o maior da América Latina, encerrou as atividades após oito anos da lei federal que proibiu os depósitos de lixo a céu aberto. Em cerimônia no local, o governador Rodrigo Rollemberg trancou com cadeado, simbolicamente, a entrada onde passavam caminhões de lixo. O evento, com cerca de 300 pessoas, ocorreu na manhã deste sábado (20/1) e teve a presença de secretários e de de aliados políticos do chefe do Executivo, como a ex-governadora Maria de Lourdes Abadia (PSDB)


Em meio a cães de rua, moscas e do cheiro forte que perdurava no local, Rollemberg disse que o fechamento do lixão representava um "salto civilizatório para Brasilia". "Fechamos uma página vergonhosa na história da cidade", afirmou.

O governador prometeu, ainda, remunerar os catadores que vão atuar nas novas unidades de reciclagem. O governo pretende pagar R$ 300 por tonelada reciclada. Além disso, eles vão receber o valor equivalente à venda do material para a iniciativa privada e mais R$ 360 mensais, pagos durante seis meses.

Rollemberg também prometeu intensificar a fiscalização. "Caminhões flagrados jogando lixo em área pública vão ser apreendidos", alertou.

No momento em que o lixão foi fechado, um caminhão de lixo soltou balões verde, branco e laranja, cores do Serviço de Limpeza Urbana (SLU). 
 
Ver galeria . 4 Fotos Ed Alves/CB/D.A Press
(foto: Ed Alves/CB/D.A Press )

 
60 anos de vergonha


O fechamento do Lixão da Estrutural encerra uma história de 60 anos de lixo jogado a céu aberto. Uma cidade, inclusive, se formou ao redor do entulho. O local vai continuar recebendo resíduos da construção civil por tempo indeterminado.

Desde 2010, quando foi aprovada a Política Nacional de Recursos Sólidos, começou-se o movimento para o fechamento de lixões em todos o país. Assim, o Lixão da Estrutural passou a ser ilegal e o DF precisaria se adequar às novas exigências de descarte do lixo.

Diante das dificuldades de aplicação da lei, o governo federal estendeu os prazos para os municípios, DF e estados se adequearem em todo o Brasil. No caso do Lixão da Estrutural, diversas datas foram marcadas pelo governo local para o encerramento das atividades. A última foi em em 31 de outubro de 2017, porém, o GDF admitiu que não conseguiria cumprir o cronograma e prorrogou para 20 de janeiro de 2018. 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade