Publicidade

Correio Braziliense

Nebulosidade impedirá brasiliense de ver a Superlua de Sangue, prevê Inmet

A previsão do tempo é de chuva à tarde e nebulosidade no período da noite


postado em 31/01/2018 10:56 / atualizado em 31/01/2018 14:30

Essa é a segunda Superlua que acontece neste mês de janeiro(foto: TED ALJIBE/AFP)
Essa é a segunda Superlua que acontece neste mês de janeiro (foto: TED ALJIBE/AFP)
 
 
A notícia para os moradores do Distrito Federal apaixonados pela Lua não é boa. Segundo o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), o clima chuvoso e a nebulosidade será um empecilho para quem deseja apreciar o fenômeno da superlua, a segunda lua-cheia do ano, nesta quarta-feira (31/1). O fenômeno de hoje foi muito aguardado por ser uma combinação da Superlua, Lua Azul e Lua de Sangue.
 

Segundo o meteorologista do Inmet Mamedes Luiz Melo, a previsão é de pancadas de chuva a partir da tarde, o que causará nebulosidade em todo o Distrito Federal. "Acredito que, devido à nebulosidade, ninguém verá a Superlua em boa parte do país. Só será possível ver no Sul e no Nordeste, em Roraima e, talvez, em São Paulo", diz.

Essa é a segunda Superlua que acontece neste mês de janeiro. A primeira ocorreu no primeiro dia ano e só é possível ser observada no DF pela madrugada. Quando ocorrem duas Superluas no mesmo mês, a segunda é denominada de Lua Azul. A próxima já está prevista para o mês de março. 

Já a Lua de Sangue, que acontece quando há um eclipse lunar total, será observável especialmente no oceano Pacífico e oeste da América do Norte, mas quase não será vista no lado leste. Ele recebe esse nome, porque, nesses casos, a lua fica vermelha. O eclipse pode ser acompanhado em tempo real graças a uma transmissão da Nasa, a agência espacial norte-americana.

Ver galeria . 6 Fotos A superlua sobe entre dois prédios de escritórios em Banguecoque em 31 de janeiro de 2018. A população esperavam um eclipse lunar raro que combina três eventos incomuns - uma lua azul, uma super lua e um eclipse total LILLIAN SUWANRUMPHA/ AFP
A superlua sobe entre dois prédios de escritórios em Banguecoque em 31 de janeiro de 2018. A população esperavam um eclipse lunar raro que combina três eventos incomuns - uma lua azul, uma super lua e um eclipse total (foto: LILLIAN SUWANRUMPHA/ AFP )


Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade