Publicidade

Correio Braziliense

Servidores do DER-DF contestam demissão de Luduvice e fazem protestos

Dezenas de servidores se mobilizaram para protestar contra a exoneração de Luduvice após o desabamento de parte do viaduto sobre a Galeria dos Estados, no Eixão Sul


postado em 08/02/2018 12:50 / atualizado em 08/02/2018 13:26

Diretor foi substituído por Márcio Augusto Buzar, antigo diretor de edificações da Novacap(foto: Ed Alves/CB/D.A Press)
Diretor foi substituído por Márcio Augusto Buzar, antigo diretor de edificações da Novacap (foto: Ed Alves/CB/D.A Press)

 

Inconformados com a exoneração de Henrique Luduvice do cargo de diretor-geral, dezenas de servidores do Departamento de Estradas e Rodagens (DER-DF) fizeram protestos na manhã desta quinta-feira (8/2). Até por volta das 11h, cerca de 300 pessoas ficaram em frente à sede do órgão, de acordo com cálculos dos organizadores, para manifestação em repúdio à decisão do governador Rodrigo Rollemberg, por considerar que a exoneração não teve justificativa. Luduvice foi substituído por Márcio Augusto Buzar, antigo diretor de edificações da companhia, após a crise instaurada com o desabamento do viaduto do Eixão Sul.


Na noite dessa quarta-feira (7/2), associações de servidores emitiram uma nota de repúdio sobre o episódio. Além de criticar a demissão de Luduvice, os funcionários sustentam que a Companhia Urbanizadora da Nova Capital do Brasil (Novacap) é a real responsável pela construção de um projeto para restaurar o viaduto que cedeu sobre a Galeria dos Estados. O Correio tentou contato com a Novacap, mas ainda não obteve resposta.

Ver galeria . 6 Fotos Servidores do DER fizeram um protesto contra a decisão do governo do DF de exonerar Henrique Luduvice do cargo de diretor após desabamento de viaduto no Eixão SulAntonio Cunha/CB/D.A Press
Servidores do DER fizeram um protesto contra a decisão do governo do DF de exonerar Henrique Luduvice do cargo de diretor após desabamento de viaduto no Eixão Sul (foto: Antonio Cunha/CB/D.A Press )

Logo após a mobilização em frente à sede do DER, alguns servidores, entre eles representantes do Sindicato dos Servidores (Sindser), seguiram para o Palácio do Buriti e depois para o local do acidente, em frente aos escombros sobre parte da Galeria dos Estados. A Polícia Militar, que acompanha o ato, contabilizou, até por volta do meio-dia, cerca de 30 pessoas no local. Segundo a corporação, o ato é pacífico e não houve registro de ocorrências. A expectativas é de que 500 agentes participem da mobilização ao longo do dia. A Associação dos servidores ativos e aposentados também deve se juntar ao grupo.

 

Alguns servidores alegam que nenhum órgão é diretamente culpado pelo ocorrido. "O DER é responsável pela manutenção asfáltica, pela sinalização e pela fiscalização. Todo ano enviamos um pedido de dotação para o governo, eles contingenciam e acabam não investindo. Existem estudos e pareceres técnicos, tanto do Tribunal de Contas (do DF) quanto nossos, que comprovam isso", afirmou o presidente do sindicato dos servidores do DER, Carlos Reis.

 

Outros trabalhadores, como o servidor Paulo Cézar de Souza, 54 anos, afirmaram que obras de reparação, especificamente, não são de responsabilidade do órgão. "A restauração é por conta da Novacap. Houve uma licitação em 2013 e o orçamento era deles", afirma. Paulo ressalta que os representantes da categoria vão protocolar um pedido de CPI na Câmara Legislativa do DF (CLDF), realizar pedido de um processo administrativo para identificar o responsável pela obra e entrar com uma denúncia no Ministério Público do DF e Territórios (MPDFT). 

 

Aurélio Pimenta, outro servidor que participou da manifestação, reafirmou a importância do ato e disse que a atitude do governo em responsabilizar o órgão é um ato político. "Nós queremos marcar uma audiência com o governador para conversar sobre o assunto. Pessoas terão que responder no Ministério Público pelo desabamento do viaduto e não será o DER", esclareceu.

GDF anunciou destinação de R$ 50 milhões para revitalizações futuras(foto: Minervino Junior/CB/D.A Press)
GDF anunciou destinação de R$ 50 milhões para revitalizações futuras (foto: Minervino Junior/CB/D.A Press)

Troca de acusações entre DER e Novacap

Nesta quarta-feira (7/2), o governo exonerou o atual diretor do DER, Henrique Ludovice. O cargo agora será ocupado pelo diretor da Novacap, Marcio Buzar. "Não temos nada contra o novo diretor. Mas na atual situação é uma atitude ruim. O DER é um órgão complexo, e nós não queremos uma pessoa para trabalhar só com pontes. Precisamos de alguém que entenda a complexidade do órgão e trabalhe com isso", explicou Carlos.

 

Em meio à troca de acusações entre DER e Novacap, o novo diretor, Márcio Buzar, preferiu adotar um tom mais neutro hoje. Em entrevista à rádio CBN, ele ressaltou que o governo é único. "Não importa de qual órgão é a responsabilidade, porque o governo é um só", afirmou. Ontem, no entanto, logo após assumir a pasta, o novo titular do DER não poupou críticas ao setor de manutenção de obras públicas. “O viaduto nunca passou por uma intervenção em 50 anos”, frisou.

Já o governador Rodrigo Rollemberg insistiu que a responsabilidade sobre o desabamento é do DER. Durante a inauguração do novo câmpus do Instituto Federal de Brasília(IFB), no Recanto das Emas, ele ponderou que não dá para apontar culpado, mas insistiu que a manutenção DF-002 é de atribuição da autarquia. 

*Estagiários sob supervisão de Jacqueline Saraiva

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade