Publicidade

Correio Braziliense

Com medo de desabamento, população pede por manutenção da Ponte do Bragueto

Em menos de 12 horas, 2,5 mil pessoas assinaram um documento pedindo a reforma da ponte. GDF garante vistorias e manutenção


postado em 08/02/2018 06:00 / atualizado em 08/02/2018 07:20

Estrutura que liga o Plano Piloto ao Lago Norte tem buracos, corrosão, rachaduras, entre outros desgastes visíveis(foto: Marcelo Ferreira/CB/D.A Press)
Estrutura que liga o Plano Piloto ao Lago Norte tem buracos, corrosão, rachaduras, entre outros desgastes visíveis (foto: Marcelo Ferreira/CB/D.A Press)

 

Repetindo os alertas do viaduto do Eixão Sul que desabou terça-feira, a Ponte do Bragueto escancara a falta de manutenção. A edificação aparece em lista de 2011 do Tribunal de Contas do Distrito Federal que mostra pontos que precisam de reparo urgente. Pela internet, mais de 2,5 mil pessoas haviam assinado, até a noite de ontem, uma petição pedindo a reforma da estrutura. O abaixo-assinado teve início de manhã, quando o até então diretor-geral do Departamento de Estradas de Rodagem (DER-DF), Henrique Luduvice, falou na possibilidade da demolição da estrutura para construção de outra, no complexo chamado de Trevo de Triagem Norte, que inclui duas pontes laterais. Essas devem ser inauguradas até o fim do ano.

A Ponte do Bragueto é a única sobre a parte norte do Lago Paranoá e foi inaugurada em 1961. Recebe uma média de 80 mil veículos por dia, servindo de ligação entre a Asa Norte e o Lago Norte. Por baixo dela, passam diariamente cerca de 100 mil veículos.
 
 
No fim da tarde, após a demissão de Luduvice, o novo diretor-geral do DER-DF, Márcio Buzar, afirmou que a Ponte do Bragueto é monitorada com o uso de aparelhos topográficos, para verificar o deslocamento. Mas ele não falou em demolição. “Estão ocorrendo visitas permanentes de técnicos para acompanhar se há fissuração nas vigas”, contou.


Buracos

O Correio visitou a Ponte do Bragueto, ontem, com o professor de engenharia civil do Iesb Vamberto Machado. Especialista em patologia das construções, ele afirmou que o governo deve realizar uma vistoria para criar um plano de manutenção com as correções necessárias. 
 
 
 
Embaixo da ponte, placas de concreto caíram após veículos com altura superior ao limite permitido (4 metros) tentarem passar. Pedaços de concreto continuam pendurados só por barras de aço. “Olhando por dentro, encontram-se pontos de corrosão do ferro da armadura. Isso é preocupante”, comentou o especialista. Mas, segundo Vamberto, os buracos não representam um perigo. “Essas placas de concreto são apenas o acabamento”, observou.
 
Mesmo sem chuva, vazava água de diversos pontos da estrutura. Segundo o professor, se trata de uma infiltração e alerta para um perigo sério. “O concreto, além de resistir aos impactos de peso, serve para proteger a barra de aço. Porém, quando entra em contato com umidade e poluição, ele passa a perder essa propriedade, deixando o aço exposto e propício à corrosão”, explicou. O sinal desse efeito é a infiltração.

O Correio questionou o DER-DF quando ocorreram as últimas manutenções na Ponte do Bragueto, mas o órgão só informou que a estrutura passa por constantes vistorias.

(foto: Arte/CB/DA Press)
(foto: Arte/CB/DA Press)





Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade