Publicidade

Correio Braziliense

Polícia Civil de Goiás conclui laudo sobre acidente na BR-020

A análise pericial confirma que o ônibus invadiu a faixa contrária e causou a colisão. O motorista e outras oito pessoas morreram


postado em 23/02/2018 16:45 / atualizado em 23/02/2018 17:06

(foto: Ana Rayssa/Esp. CB/D.A Press)
(foto: Ana Rayssa/Esp. CB/D.A Press)
 
Os peritos da Polícia Civil do Estado de Goiás (PCGO) concluíram o laudo sobre a colisão na BR-020, em 15 de fevereiro. O documento confirma que o ônibus invadiu a faixa contrária e causou a batida. Agora, os investigadores vão escutar o motorista da carreta Volvo Scania atingida no acidente, Edson Guedes Besssa, 43 anos, para concluir o inquérito.
 
O delegado responsável pelo caso, Jandson Bernardo da Silva, da 2ª Delegacia Distrital de Formosa, acrescenta que o exame toxicológico do condutor do ônibus, Edson Lopes Lima, 47 anos, que morreu no acidente, deverá ficar pronto nos próximos dias. "O laudo ficou pronto nesta quinta-feira (22/2), mas essa análise é feita em Goiânia e ainda está pendente", reforça.  
 
A perícia apontou que a carreta que tombou seguia a 90 km/h, na via onde a velocidade permitida é 80 km/h. No entanto, o delegado pondera que essa não foi a causa determinante do acidente. "Mesmo que haja excesso de velocidade, isso não vai caracterizar uma questão penal. O que define isso é quem causou o acidente", explica. Jandson afirma que não foi possível realizar a análise do tacógrafo do ônibus, que poderia indicar a velocidade que trafegava no momento do acidente, porque estava com excesso de danos.  

30 feridos e 9 mortos

O acidente terminou com 30 pessoas feridas e nove mortas. Três dessas perderam a vida nas unidades de saúde do Distrito Federal. A Secretaria de Saúde informa que 12 vítimas passaram pelos hospitais de Brasília e apenas um segue internado. "A paciente esteve internada no Hospital Reginal de Sobradinho (HRS), onde passou por cirurgia. Na manhã do dia 17 de fevereiro, ela foi internada na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Instituto Hospital de Base (IHB). A paciente segue estável, sem sedação, sendo acompanhada pela ortopedia", detalhou a pasta, em nota.  

O ônibus da empresa Expresso Guanabara com 43 passageiros seguia sentido Brasília no momento em que entrou na faixa de sentido oposto. Uma carreta carregada de adubo colidiu frontalmente com o ônibus e, em seguida, bateu no guard-rail. Após a batida na defensa metálica, a carreta atingiu outro caminhão e tombou em seguida. Seis pessoas morreram no local.  
 
Ver galeria . 10 Fotos Ana Rayssa/Esp.CB/D.A Press
(foto: Ana Rayssa/Esp.CB/D.A Press )
 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade